Dia Nacional da Advocacia Pública

Escrito por Moaceny Félix , moaceny@hotmail.com
Moaceny Félix é procurador Federal, associado à ANAFE
Legenda: Moaceny Félix é procurador Federal, associado à ANAFE

O dia nacional da Advocacia Pública, instituído pela lei 12.636/12, faz alusão ao ato imperial que criou, em 07 de março de 1609, o cargo de procurador dos feitos do reino e da coroa.

Tem-se registro de que as primeiras procuradorias, em nossa tradição lusitana, foram introduzidas no ano de 1446, pelas Ordenações Afonsinas, era o cargo de Procurador dos Nossos Feitos. Nas Ordenações Filipinas, em 1603, houve uma divisão entre as funções de Procurador dos Feitos da Coroa, Procurador dos Feitos da Fazenda, e Promotor da Justiça da Casa de Suplicação.

Na Constituição Federal atual, os cânones 131 e 132 inserem a Advocacia Pública, ladeando o Ministério Público, a Defensoria Pública e a Advocacia privada, no bloco de atividades e funções indispensáveis ao funcionamento da justiça.

É salutar a lição do professor Diogo Moreira Neto de qu “a advocacia como função essencial nas sociedades civilizadas, que se havia estruturado com o próprio Direito ocidental a partir das matrizes do Direito Romano pretoriano, levou mais de dois milênios para desdobrar-se historicamente até a instituição da Advocacia Pública atual”.

Em 2020, a Advocacia Geral da União - AGU atuou em 8,6 milhões de processos judiciais e, no consultivo, foram 179 mil pareceres emitidos, orientando as políticas públicas. Foram arrecadados R$ 617 milhões, em acordos de leniência e R$ 51 bilhões de ativos preservados, junto ao CARF. No âmbito judicial, foram evitadas perdas de R$1,1 trilhão. Em suma, somente em 2020, um impacto econômico em torno de R$ 1,3 trilhão, por conta da atuação direta dos membros da AGU.

Em resumo, uma advocacia pública, fortalecida e estruturada, é capaz de promover resultados favoráveis ao interesse púbico, economia para a sociedade, combater à corrupção, no controle de legalidade dos atos do poder púbico e nas ações de recuperação do erário.

São muitos os desafios, mas o investimento na advocacia pública tem demonstrado resultados práticos de proteção orçamentária e de segurança jurídica para o poder público e para a sociedade.

Moaceny Félix é procurador Federal, associado à ANAFE

 

Francisco Duarte é CEO da Legal Place Brasil
Francisco Duarte
16 de Junho de 2024
Médico especialista em reprodução humana
Marcelo Cavalcante
15 de Junho de 2024
Prof. Aposentado da UFC
Gonzaga Mota
14 de Junho de 2024
Jornalista e senador constituinte
Mauro Benevides
13 de Junho de 2024
Jornalista
Gilson Barbosa
10 de Junho de 2024