Trump autorizou bombardeio que matou líder militar

Bombardeio ocorreu em meio a tensões com os EUA depois que manifestantes invadiram a embaixada americana em Bagdá

Legenda: General Qassem Soleimani.
Foto: Foto: AFP

O presidente dos EUA, Donald Trump, autorizou o bombardeio no Iraque que matou o comandante das Forças Quds - unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã -, o general Qassem Soleimani, nesta quinta-feira (2), informou o Pentágono.

Além de Soleimani, foi morto também o iraquiano Abu Mahdi al-Muhandis, alto comandante de uma milícia apoiada pelo Irã conhecida como Forças de Mobilização Popular do Iraque. Eles estavam em um comboio que seguia na estrada que leva para o Aeroporto Internacional de Bagdá quando foram atingidos pelo bombardeio.

Em comunicado, o Departamento de Defesa dos EUA disse que Soleimani planejava atacar diplomatas e funcionários americanos "no Iraque e por toda a região".

"Esse bombardeio teve o objetivo de impedir futuros planos de ataques iranianos. Os EUA vão continuar a tomar todas as ações necessárias para proteger nosso povo e nossos interesses em qualquer parte do mundo", afirma o comunicado.

O bombardeio ocorreu em meio a tensões com os EUA depois que manifestantes invadiram a embaixada americana em Bagdá nesta semana. Um cerco de dois dias à embaixada, encerrado na quarta-feira (1º), levou Trump a ordenar o envio de 750 soldados para o Oriente Médio

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo