Prefeitura de Moscou confina pessoas com mais de 65 anos e enfermos

Medida será aplicada às pessoas afetadas por diabetes, asma, câncer, problemas renais ou que sofreram ataques cardíacos ou cerebrais

Legenda: Serguei Sobianin, prefeito de Moscou, não cita sanções para quem não cumprir as recomendações
Foto: Foto: AFP

O prefeito de Moscou ordenou nesta segunda-feira que as pessoas com mais de 65 anos e os enfermos permaneçam em casa ou em sua residência secundária para limitar a propagação do novo coronavírus.

>20 idosos morrem em casa de repouso na França

"De 26 de março a 14 de abril, os moscovitas com mais de 65 anos ou os que sofrem de doenças crônicas têm a obrigação de respeitar um confinamento em seus domicílios", anunciou o prefeito Serguei Sobianin em um comunicado.

"O melhor a fazer, se você tem a possibilidade, é seguir para datcha (casa de campo), ainda mais porque o tempo será mais quente nos próximos dias", recomendou Sobianin no comunicado. 

A medida será aplicada às pessoas afetadas por diabetes, asma, câncer, problemas renais ou que sofreram ataques cardíacos ou cerebrais, informou o prefeito.

O comunicado não cita sanções para quem não cumprir as recomendações.

"Se você trabalha, peço que siga para o trabalho, exceto os funcionários cuja presença é vital para o funcionamento das empresas", acrescentou Serguei Sobianin.

Os outros trabalhadores devem trabalhar de casa, gozar de férias pagas ou ser hospitalizados, afirma o comunicado.

Os confinados não poderão visitar nenhum local público e serão autorizados a frequentar supermercados ou farmácias apenas em caso de necessidade.

A Rússia registra 438 casos do novo coronavírus, sem nenhuma morte, de acordo com fontes oficiais, mas algumas pessoas suspeitam que o país minimiza o balanço real da epidemia.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados