Mais de 41 mil tiram passaporte em 7 meses no Ceará, revela PF

Delegacia de Imigração prevê fechar 2019 com crescimento na entrega do documento necessário a uma viagem internacional. Solicitações são feitas em Fortaleza e Juazeiro do Norte, novo nicho para empresas de intercâmbio

Legenda: Emissão de passaportes no Ceará deve fechar 2019 com crescimento em relação ao ano passado, segundo a PF
Foto: Foto: Agência Brasil

Um dos termômetros do maior interesse dos cearenses em planejar uma viagem ao exterior é a emissão de passaportes. De janeiro a julho, a Polícia Federal já entregou mais de 41 mil documentos no Estado e prevê fechar 2019 com um número maior que os 60 mil emitidos em todo o ano passado.

Os dados fornecidos pela Delegacia de Imigração da PF ao Diário do Nordeste contabilizam os passaportes solicitados em dois locais que prestam esse serviço no Estado: a unidade da PF no Shopping Iguatemi, em Fortaleza, e na sua Delegacia em Juazeiro do Norte, no sul do Estado.

A PF do município do Cariri respondeu apenas por 6% do total de passaportes emitidos no Estado. No ano passado, foram 3.697 documentos entregues em Juazeiro, ante um total de 56.586 unidades na unidade da PF no Iguatemi.

O potencial de crescimento da emissão de passaportes no Cariri surpreende, no entanto. De janeiro a julho deste ano, já soma 2.482 entregues, enquanto em Fortaleza totaliza 39.312 no mesmo período.

Intercâmbio

Além do barateamento das passagens aéreas para fazer turismo de lazer em destinos internacionais e a ampliação na oferta de voos saindo do Ceará, a maior emissão de passaportes tem ainda uma explicação no maior interesse de se estudar fora. Um dos indicadores disso é a expansão da rede de empresas de intercâmbio e de cursos de idiomas, rumo ao interior do Estado.

Juazeiro já atraiu duas marcas especializadas em intercâmbio: a Egali e a CI possuem representantes na cidade.

A CI Intercâmbio, uma das maiores do segmento, iniciou, no mês passado, suas operações em Juazeiro, o segundo ponto de atuação no Ceará.

Dirigida pela professora de inglês e francês Júlia Figueiredo, a operadora funciona em formato "home office", ou seja, com atendimentos individuais via telefone, online ou consultorias presenciais.

A franqueada cursou o Ensino Médio nos EUA, no modelo High School. "Meu objetivo é facilitar e desmistificar esse processo, pois vejo que há muita gente com vontade de fazer intercâmbio, mas com medos e dúvidas que acabam impossibilitando a realização desse objetivo", diz.

Destinos

Na hora de escolher o melhor lugar no mundo para estudar um idioma, os cearenses levam em conta os custos dos cursos, da acomodação e as facilidades de encontrar trabalho temporário. É o que revela a coordenadora da Egali Intercâmbio em Juazeiro do Norte, Leydeane Souza.

"Hoje, a Irlanda é o paraíso dos brasileiros que buscam estudar e trabalhar. O custo de vida lá é menor do que nos EUA e na Austrália", observa.

Canadá e Reino Unido também são destinos preferidos. Segundo Leydeane, no Cariri, procuram fazer intercâmbio no exterior principalmente pessoas formadas nas áreas de Medicina, Direito e Comunicação Social.

Trabalho

Incluir no currículo uma experiência no exterior é um diferencial no competitivo mercado de trabalho, aponta a responsável pela CI Intercâmbio em Juazeiro do Norte.

"Universitários e recém-formados estão buscando mais informações sobre cursos de idiomas e programas de intercâmbio. As empresas estão mais exigentes", afirma Júlia, que vê as mulheres como as mais interessadas em passar um tempo em outro país.

Já a coordenadora da Egali ressalta receio frequente nessa decisão. "Mandar um adolescente estudar fora é difícil. Filho é filho. A cabeça dos pais sofre uma pressão. Mas basta um amigo ter uma boa experiência no exterior e indicar que os pais relaxam e fecham o pacote", diz Leydeane.

Você tem interesse em receber mais conteúdo internacional?