Greta Thunberg critica fala de Salles: “Imagina o que é dito fora das câmeras”

Ativista sueca chama atenção para tentativa do Ministro do Meio Ambiente de aproveitar “tranquilidade” trazida pela pandemia para afrouxar legislação

Legenda: Ativista de 17 anos que se notabilizou por promover greves estudantis em protesto contra as transformações climáticas, Greta Thunberg fez apelo por preservação da Amazônia

A ativista sueca Greta Thunberg voltou a usar as redes sociais para fazer críticas ao Governo Bolsonaro. Neste sábado (23), a jovem de 17 anos compartilhou, em sua conta no Twitter, reportagem da Agência Reuters que chamava atenção para a fala do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na reunião ministerial de 22 de abril publicada ontem (22). Em inglês, ela postou parte da controversa declaração de Salles, seguida de uma crítica ao ministro. “Precisa ter um esforço nosso aqui enquanto estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de Covid”, reproduziu Greta. “Só imagine as coisas que são ditas fora das câmeras... Nosso futuro comum é apenas um jogo para eles. #SalvemAAmazônia”, concluiu. 

 

A matéria publicada por Greta chama atenção para a conclusão de grupos ambientalistas de que as declarações de Salles “provam que o governo Bolsonaro está sistematicamente buscando desmantelar as proteções ambientais”. A reportagem da agência internacional também aponta que o desmatamento de 2019 na Amazônia foi o maior dos últimos 11 anos e que já houve aumento de 55% nos quatro primeiros meses de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado.  

Ontem (22), após a divulgação do vídeo, o Observatório do Clima pediu o afastamento de Salles. "Esperamos que Ministério Público federal, STF e Congresso tomem medidas imediatas para o afastamento do ministro Ricardo Salles. Ao tramar dolosamente contra a própria pasta, demonstra agir com desvio de finalidade.", escreveu, em nota, a coordenação da rede que integra 37 entidades da sociedade civil. 

Em sua conta no Twitter, Ricardo Salles se defendeu. "Sempre defendi desburocratizar e simplificar normas, em todas as áreas, com bom senso e tudo dentro da lei. O emaranhado de regras irracionais atrapalha investimentos, a geração de empregos e, portanto, o desenvolvimento sustentável no Brasil.”, escreveu o ministro.