Afeganistão vai libertar 10.000 prisioneiros para evitar contágio por coronavírus

A medida, tomada por decreto presidencial divulgado hoje, "não é para aqueles que cometeram crimes contra a segurança nacional e internacional"

Legenda: Os beneficiários serão "mulheres, crianças, doentes graves e detidos com mais de 55 anos", disse o procurador-geral Farid Hamidi em comunicado
Foto: Foto: Wakil Kohsar/AFP

Até 10.000 prisioneiros serão libertados dentro de dez dias no Afeganistão para impedir a propagação do novo coronavírus neste país onde a infraestrutura de saúde é precária após quatro décadas de guerra, anunciaram as autoridades nesta quinta-feira (26).

"Os beneficiários serão mulheres, crianças, doentes graves e detidos com mais de 55 anos", disse o procurador-geral Farid Hamidi em comunicado.

A medida, tomada por decreto presidencial divulgado hoje, "não é para aqueles que cometeram crimes contra a segurança nacional e internacional", acrescentou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo