Nino Paraíba avalia Ceará x Flamengo e pede apoio da torcida: "os mais jovens sentem bastante"

O lateral-direito comentou sobre os protestos do torcedor na Arena Castelão

Nino Paraíba comemora gol com a torcida
Legenda: Nino Paraíba soma 19 partidas pelo Ceará na temporada de 2022
Foto: divulgação / Ceará

O Ceará recebe o Flamengo no próximo sábado (13), às 16h30, na Arena Castelão, pela 6ª rodada da Série A. Na zona de rebaixamento, o Vovô busca reagir na competição e também vencer a primeira partida em casa. O lateral-direito Nino Paraíba comentou sobre a dificuldade do jogo.

"A gente sabe que vai ser um jogo difícil contra o Flamengo. Temos de dar o nosso melhor dentro de casa, principalmente porque não conseguimos vencer ainda. É uma oportunidade de mostrar o nosso futebol mais uma vez. Temos feito grandes partidas na Sul-Americana e na Copa do Brasil. É esperar agora fazer um bom jogo diante do nosso torcedor e conseguir um resultado positivo”, declarou.

Confira a coletiva de Nino Paráiba

No Brasileirão, o Vovô soma três pontos, acumulando uma vitória e três derrotas. O cenário é diferente dos outros torneios, com o time de Dorival Júnior está na liderança do Grupo G da Sula e nas oitavas da Copa do Brasil. Apesar disso, torcedores protestaram contra diretoria e o elenco.

Para além dos resultados, as queixas envolvem decisões internas do clube. Nino então pediu apoio das arquibancadas. “É muito complicado para nós, jogadores (as vaias). A gente vê a dificuldade quando o torcedor não está do nosso lado. Sempre que joguei contra, vi a torcida apoiar do começo ao fim, e é difícil jogar contra o Ceará. Com a torcida apoiando, é complicado nos vencer”, disse.

Com 36 anos, Nino participou de 19 jogos pelo Ceará em 2022. O lateral tem um gol e duas assistências. Na posição, se alterna com Michel Macedo, também contratado para o ano vigente.

Veja outros pontos da coletiva

Nino Paraíba finaliza para o gol em jogo do Ceará
Legenda: Nino Paraíba marcou o primeiro gol pelo Ceará contra o Tombense-MG, na Copa do Brasil
Foto: divulgação / Ceará

Vaias da torcida

"Muitos jogadores, principalmente os mais jovens, sentem bastante porque errar um passe e a torcida vaiar, ficar contra nós, é complicado. Com o torcedor do nosso lado, tudo fica mais fácil, isso é tudo que importa porque sabemos que quando temos apoio do começo ao fim, é difícil nos bater”.

Cuidado físico

"Eu me cuido bastante, trabalho bastante para me manter na elite do futebol, que é muito difícil no nível que está. Hoje, a parte física é de muita força, e eu trabalho bastante isso daí. Tenho em mente fazer o meu trabalho. Chego cedo, até uma hora e meia antes (do treino)”.

Participação ofensiva

"A minha participação nos clubes que passei, sempre consegui deixar meus companheiros na cara do gol. Tanto eu como o Michel e o Buiú são excelentes laterais. Sabemos que quando trabalhamos muito, focamos no jogo, tem o resultado”.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte