Dirigente do Brusque volta a causar polêmica ao defender clube de acusação de racismo em vídeo

O mandatário quadricolor comentou sobre o ocorrido em entrevista ao Marrecast, na TV Bruscão, no YouTube

Legenda: Vice-presidente do Brusque concedeu entrevista coletiva à TV Bruscão, no YouTube, e comentou sobre ocorrido com o meia Celsinho, do Londrina
Foto: Reprodução

O Brusque Futebol Clube voltou a ser alvo de críticas nas redes sociais após declarações do vice-presidente Carlos Beuting, em entrevista ao Marrecast, na TV Bruscão, no YouTube, sobre o ocorrido com o meia Celsinho, do Londrina, no último sábado (28).

Na entrevista, o vice-presidente brusquense voltou a pedir desculpas pela "falta de simpatia" na nota publicada no domingo (29), onde Celsinho é acusado de "falsa imputação de crime" e "oportunismo", afirmando que o ex e atual supervisor da equipe são negros e que não há racismo no Brusque.

O dirigente quadricolor assumiu ainda que um dos diretores da equipe catarinense proferiu o termo "cachopa de abelha" contra o atleta do Londrina.

"Estava na última fileira da arquibanca e eu via que existia uns palavrões. E de repente, um dos nossos diretores falou "vai cortar essa cachopa de abelha". Ele falou isso."
Carlos Beuting
Presidente do Brusque Futebol Clube

Carlos Beuting afirmou ainda que nenhum dirigente do Brusque chamou Celsinho de "macaco", como afirmado pelo atleta em entrevista pós-jogo ao canal Premiere.

"A palavra que foi dito que ele foi chamado não aconteceu. Tanto é que um ex-diretor e colaborador do Londrina, me ligou, estava perto e disse "cara, vocês não falaram isso", a tal palavra "macaco"."

Confira a entrevista na íntegra

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte