Cearense de 15 anos é revelação na Seleção Brasileira Sub-18

Apesar da pouca idade, Larissa Mendes tem 1,89m de altura e é destaque no cenário nacional pela habilidade nas quadras. Jovem faz parte da convocação brasileira para a disputa do Sul-Americano

Legenda: Larissa Mendes é destaque no vôlei cearense aos 15 anos
Foto: Thiago Gadelha

A imposição dentro das quadras não reflete a idade de Larissa Brandão Mendes durante as partidas de vôlei. Com somente 15 anos, a cearense é vista como um prodígio da modalidade no Brasil. Ela foi a única nordestina convocada para a Seleção Brasileira Feminina Sub-18, comandada por Hylmer Dias. Das 20 atletas chamadas, só 12 serão escolhidas para compor o grupo final na disputa do Sul-Americano, que ocorreria em julho.

A altura impressiona pela idade: 1,89m de muita potência atrás das redes e inspiração para crescer ainda mais no jogo. Larissa iniciou como central e foi deslocada para a posição de oposta pelo treinador, onde pode explorar melhor seus atributos.

Atleta do BNB Clube desde 2016, sob o comando dos técnicos Adriano Gurgel e Eurípedes Gurgel, a jovem já recebeu proposta para jogar em times no Sul e no Sudeste. O plano é terminar os estudos no Ceará e depois conseguir bolsa em uma universidade nos EUA, onde pretende organizar o tempo entre os livros e o vôlei.

Jogar ao lado de gente mais velha não é problema para Larissa, que atua fora de sua faixa etária desde pequena. O desafio na seleção nacional também não a amedronta. "Desde os 12/13 anos, já jogava por equipes mais velhas. Inclusive, com 13 anos, atuei no Campeonato Cearense Adulto pelo BNB. Então, já tinha experiência de jogar com gente mais velha. Claro, é diferente jogar a nível nacional. Mas acho que vou me dar bem", comentou a atleta, em entrevista ao Sistema Verdes Mares.

Legenda: Larissa foi escolhida para a Seleção Brasileira Sub-18
Foto: Thiago Gadelha

Firmeza em quadra

Raphael Dantas é treinador da jovem no Colégio Antares, onde estuda na Capital cearense. Segundo ele, a altura não é o principal diferencial como jogadora: o aspecto mental durante as partidas é seu maior trunfo.

"Para jogar vôlei, considero que o atleta precisa de uma característica mental muito forte. Costumo dizer que a Larissa consegue jogar melhor do 20º ponto pra frente do que no começo. Estou há seis anos na seleção cearense e não tive oportunidade de trabalhar com uma atleta como ela, completa. É a 1ª vez, realmente, que pegamos alguém com todos esses atributos: físicos e emocionais", afirmou Raphael Dantas.

Enquanto o campeonato continental não tem previsão para começar, Larissa retoma o ritmo dos treinos após a paralisação das atividades devido à pandemia de Covid-19 para garantir o ritmo necessário para aparecer na lista final de convocação.

"Estou bem ansiosa para saber se vai ter o Sul-Americano. Quanto às chances: acho que todo mundo tem chance. Até porque são as 20 melhores jogadoras sub-18 do Brasil que eles chamaram. Vai ser difícil, mas espero continuar na equipe", conta a jogadora.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte

Assuntos Relacionados