Jogo aéreo é preocupação do Fortaleza para enfrentar o Estudiantes pela Libertadores

Tricolor vem de derrota para o Atlético-MG em que sofreu três gols em lances pelo alto. Por outro lado, Estudiantes aposta bastante nos cruzamentos e tem jogo aéreo como ponto forte

Boeck e Benevenuto em posicionamento do Fortaleza para jogada de bola aérea, cruzamento na área
Legenda: Defesa do Fortaleza tem sofrido muitos gols pelo alto
Foto: Thiago Gadelha/SVM

O Fortaleza dá uma pausa no Campeonato Brasileiro e volta o foco para as oitavas de final da Copa Libertadores. Nesta quinta-feira (30), o Tricolor encara o Estudiantes de La Plata, no duelo de ida, na Arena Castelão, e há uma preocupação clara para o técnico Juan Pablo Vojvoda: o jogo aéreo.

Os três gols sofridos pelo Leão do Pici na derrota para o Atlético-MG foram em jogadas aéreas, de cruzamentos que os jogadores do Galo levaram a melhor sobre os defensores leoninos.

Este já tem sido um problema do Fortaleza. Dos nove gols que o time sofreu na Libertadores, cinco (55,5%) foram originados em cruzamentos na área. No último jogo que o time fez pela competição, a vitória por 4 a 3 sobre o Colo Colo, dois gols dos chilenos ocorreram em jogadas pelo alto.

Ponto fraco de um, ponto forte de outro...

Zagueiro Rogel, do Estudiantes, comemorando gol
Legenda: Zagueiro Rogel é artilheiro do Estudiantes na Libertadores
Foto: AFP

Se é um ponto de preocupação do Fortaleza, o jogo pelo alto é um dos pontos fortes do Estudiantes. O time argentino aposta bastante em cruzamentos na área. Dos oito gols marcados na fase de grupos da Liberta, três foram originados de lances assim. Sem citar diversas outras oportunidades de gol que foram criadas pelo alto, não apenas na Libertadores, mas em diversos outros jogos da equipe na temporada.

O principal destaque do Estudiantes é o atacante Mauro Boselli, artilheiro do time na temporada, com 12 gols em 16 jogos. Mas, na Libertadores, o principal goleador da equipe é o zagueiro uruguaio Agustín Rogel, que marcou quatro gols, tem 1.90m e é uma das principais armas na bola parada do time.

O Fortaleza não terá Tinga (lesionado), que é bom no jogo aéreo. Titi, Ceballos e Landázuri não vêm convencendo nos últimos jogos, e Benevenuto é quem tem sido a peça mais efetiva neste aspecto.

Sair na frente em casa é o ponto crucial para o Fortaleza seguir vivo para definir a classificação na Argentina. O caminho é não sofrer gols. E a atenção em jogadas pelo alto precisa ser redobrada para isso.