"Podemos mirar algo a mais", diz Ricardinho sobre o Brasileirão antes do duelo contra a Chapecoense

O capitão do Vovô espera um confronto complicado contra a Chape dentro de casa neste sábado (9)

Legenda: Ricardinho cobrou o escanteio que resultou no segundo gol alvinegro contra o Fortaleza
Foto: Foto: JL Rosa

Um dos melhores em campo durante a vitória alvinegra no Clássico-Rei, o meio-campista Ricardinho é peça fundamental para o Ceará neste Campeonato Brasileiro. Em coletiva nesta terça-feira (6), o atleta não exaltou tanto o resultado contra o Fortaleza, mas comemorou a boa fase do Ceará na competição.

"Muito feliz pelo momento. A gente ainda tem uma cobrança no sentido de manter uma regularidade na competição. Podemos mirar algo a mais na tabela. Já passou a questão do resultado em cima do nosso rival. Foi importante por estar com a mesma pontuação, mas já temos que pensar na Chapecoense. Dificultou bastante contra o Grêmio", comentou o jogador.

Ricardinho alerta sobre o confronto contra a Chape na 14ª rodada, apesar de os dois times estarem em metades diferentes na tabela.

"Estamos um pouco acima daquilo que a Chape tá buscando sair. Estamos numa situação de metade da tabela. Mas é um jogo dificílimo. Todo mundo ajudando na marcação, atrás da linha da bola. Vamos precisar de paciência no sentido de trabalhar a bola, de esperar o melhor espaço para atacar", disse o atleta.

Com o primeiro terço do Brasileiro concluído, o meia acredita que o Ceará tem condições de brigar por algo mais do que somente a permanência na elite nacional, como já demonstrou nas últimas 13 rodadas.

"Temos sempre que buscar a excelência. E por que não buscar algo lá em cima? Já mostramos que temos condições em questão de nível de jogo, de parte tática, de força coletiva junto com nosso torcedor", falou o capitão alvinegro.

Contra o Leão do Pici, Ricardinho foi quem tentou desarmes, com 14 no total, e quem mais certou passes, com 28. Ao lado de Fabinho, ele forma o pilar do meio campo de Enderson, e comentou sobre sua função no esquema.

"A gente precisa estar bem compactado, linhas próximas, facilitar um pro outro. Nem sempre preciso desarmar a jogada. Preciso fechar o espaço, pressionar o adversário para que ele erre o passe ou se sinta acuado e possa antecipar uma jogada que não seria a melhor. Ou até mesmo dobrar a marcação e um companheiro vem e rouba a bola", falou o camisa 8.

O Ceará recebe a Chape no Castelão neste sábado (9), às 17h, com 7 pontos de diferença na classificação. O time cearense está na 11ª posição, com 17 pontos, enquanto o time de Chapecó está na 17ª colocação, o primeiro no Z-4, com 10 pontos.