"Eu sou o responsável", diz Vojvoda após derrota do Fortaleza para o Bragantino

Tricolor segue com 49 pontos, mas caiu para a 6ª posição

Vojvoda sério em entrevista
Legenda: Técnico do Fortaleza busca 1ª vitória na Série A
Foto: Reprodução/TV Leão

A derrota por 3 a 0 para o Bragantino, no último sábado (13), fez o Fortaleza perder duas posições na tabela do Campeonato Brasileiro. O Tricolor não fez bom jogo no Estádio Nabi Abi Chedid e após a partida, o técnico Juan Pablo Vojvoda chamou a responsabilidade pelo resultado.

"Eu sou o responsável também dos momentos ruins da equipe, do time. Eu sou quem comanda esse time e estou seguro que teremos força para recuperar esse mau momento. Temos bons jogadores, um time muito comprometido com o clube, com o projeto, com o dia a dia, e sigo confiando muito em cada um dos meus atletas", disse o comandante argentino, que fez questão também de destacar o empenho para melhores resultados.

"Mas também sou o mais responsável para seguir trabalhando, seguir confiando e transmitindo a cada um dos torcedores do Fortaleza que esse time tem o compromisso desde o primeiro dia. E nesses momentos, vai seguir tendo compromisso. Sempre tem demonstrado atitude e nesse momento vai seguir demonstrando".

VEJA OUTRAS RESPOSTAS DE VOJVODA NA ENTREVISTA COLETIVA

O que deu errado contra o Bragantino?

"Eu considero que nos custou os primeiros 15 minutos de jogo. Nós encaramos todos os jogos da mesma maneira e esse jogo era muito importante para nós. O time demorou a interpretar os primeiros momentos do jogo. O adversário realizou uma boa pressão. Nós, nesse momento, talvez teríamos que ter jogado mais bola longa. O adversário foi superior a nós e conseguiu dois gols. Tivemos também finalizações, muitas, mas o adversário conseguiu o gol. E não pudemos fazer as finalizações como nosso objetivo. O objetivo no futebol é sempre fazer os gols e defender bem. E nos primeiros minutos o time não defendeu bem. E se há algum erro, como houve nessa partida, eu sou o mais responsável disso."

O time sente a ausência do Crispim?

"O Fortaleza sente ausência de todos os jogadores, de cada um deles. Eomo é um time, é composto de um elenco de 26, 27, até 30 jogadores, e em determinado momento pode estar um ou outro dentro do campo de jogo. Não quero focar minha atenção em jogadores que não posso ter disponível no jogo. Seria muito fácil para mim dizer "ah não tenho Crispim", ou outro jogador. Isso é parte do jogo. Eu tenho que resolver problemas, situações que acontecem. Não tenho que olhar para o que não está disponível."

Você acha que deveria ter feito substituições no intervalo?

"Pode ser, era uma possibilidade. Eu pensei em fazer mudanças. Mas eu faço análises com o staff técnico e eu tomei a decisão de continuar com o time igual."

Preocupa uma derrota antes do Clássico-Rei?

"Derrotas preocupam e também ocupam. Esses dias serão para análises, planificação de estratégia e para ocupar-se do momento atual do time. Não desviar nosso caminho e seguir trabalhando como sempre."

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte