Conmebol suspende partida entre Brasil e Argentina após interrupção da Anvisa

A Fifa irá determinar o que ocorrerá na sequência

seleção brasileira na Neo Quimica arena
Legenda: Brasil permaneceu em campo e, após a suspensão do jogo, realizará um treinamento
Foto: NELSON ALMEIDA / AFP

O jogo entre Brasil e Argentina, que foi interrompido pela Anvisa neste domingo (5), foi suspenso. A Fifa irá determinar o que ocorrerá na sequência, diz o comunicado da Conmebol publicado nas redes sociais.

Conmebol no Twitter sobre Brasil e Argentina
Foto: Reprodução/ Twitter

A instituição afirma que o jogo foi suspenso por decisão do árbitro e lembra que as Eliminatórias da Copa do Mundo são organizadas pela Fifa. 

"O árbitro e o delegado do jogo apresentarão um relatório à Comissão Disciplinar da FIFA, que determinará os próximos passos a seguir. Estes procedimentos estão em estrita conformidade com os regulamentos em vigor. As Eliminatórias para a Copa do Mundo são uma competição da FIFA. Todas as decisões relativas à organização e desenvolvimento são exclusiva responsabilidade da FIFA", diz a publicação.

Entenda o que aconteceu

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interrompeu a partida entre Brasil e Argentina, que estava marcada para 16h deste domingo (5), na Neo Química Arena, em São Paulo, por descumprimento de protocolos de saúde referente à pandemia de Covid-19 por quatro jogadores da seleção argentina.

O jogo foi parado bem no início, aos 4 minutos e 50 segundos. De acordo com a Agência, Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero estiveram no Reino Unido nos últimos 14 dias, mas esconderam essa informação, já que o Brasil não aceita passageiros que passaram pelo país europeu neste período devido à pandemia de Covid-19.

Antonio Barra Torres, diretor-presidente da Anvisa, deu entrevista à TV Globo e foi taxativo ao comentar o episódio. "São quatro jogadores. Eles, ao chegarem em território nacional, apresentam a declaração de saúde do viajante. Neste documento não falava que eles passaram por um dos três países que estão restritos, justamente para a contenção da pandemia. Mas depois foi constatado que eles passaram pelo Reino Unido", disse.

"Chegamos nesse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou, desde o primeiro momento, não foi cumprido. Eles tiveram orientação para permanecer isolados para aguardar a deportação. Mas não foi cumprido. Eles se deslocam até o estádio, entram em campo, há uma sequência de descumprimentos", completou Barra Torres. 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte