Conheça os critérios e motivos que levaram o Fortaleza a contratar Bergson

Apesar de contestado pela torcida, ex-Ceará chega ao Pici com aval de Rogério Ceni e de todo departamento de futebol. Bastidor da negociação tem análise detalhada de características e confiança em "casamento" com modelo de jogo

Bergson acertou com o Leão após passagem pelo maior rival onde alternou bons e maus momentos
Legenda: Bergson acertou com o Leão após passagem pelo maior rival onde alternou bons e maus momentos
Foto: Fortaleza/Divulgação

Uma transferência que mexeu com os bastidores e torcedores do futebol cearense. De um dia para o outro, o atacante Bergson rescindiu contrato com o Ceará e fechou com o Fortaleza até o fim de 2021. O acerto gerou dúvidas entre muitos tricolores. Quais os critérios para o Fortaleza realizar a contratação de um jogador extremamente criticado e dispensado pelo rival por conta do mau rendimento?

Ouça o podcast FortalezaCast

Powered by RedCircle

O Diário do Nordeste apurou, nos bastidores, os motivos que levaram o clube a apostar no atacante de 29 anos.

Anunciado oficialmente ontem, Bergson já realizou o primeiro treinamento com o elenco leonino, no Pici, teve o nome publicado no BID da CBF e está apto a atuar. A reportagem apurou que ele será relacionado para o duelo contra o Palmeiras, neste domingo (18), às 20h30, na Arena Castelão.

Oportunidade de mercado

Bergson não era um nome que constava na lista do Fortaleza como prioridade de contratação. Surgiu e ganhou mais força como oportunidade de mercado após a divulgação da informação que ele estaria deixando o Ceará e ficaria livre, podendo acertar sem custos.

Além disso, é um atleta que já está adaptado na cidade, então seria um fator a menos de preocupação.

Para acertar com um nome novo, alguém de fora do Estado, poderia ter um pouco mais de dificuldade neste quesito.

Com o atual mercado fechado, o departamento de futebol do Tricolor enxergou no centroavante também uma possibilidade que se encaixa na realidade financeira do clube. O Fortaleza é um dos times de menor orçamento na Série A do Campeonato Brasileiro e não poderia contratar jogadores a um preço alto.

Sem precisar pagar nenhuma quantia para adquirir os direitos econômicos, o clube arcará somente com os salários, o que foi visto com bons olhos pela cúpula do departamento de futebol.

Necessidade no elenco

Com a saída de Edson Cariús para o futebol árabe, o Fortaleza viu a necessidade de reposição das mesmas características e passou a monitorar de forma mais intensa opções para o sistema ofensivo. Apesar de contar com Wellington Paulista e David no elenco, Tiago Orobó não ganhou a confiança da comissão técnica. Com isso, a avaliação era de que havia necessidade de outro jogador para a função.

Tiago Orobó foi emprestado para a Ponte Preta, que tinha interesse em Bergson. A ida de Orobó ao time paulista foi fundamental para abrir o caminho para o Leão do Pici contratar o ex-jogador do Ceará.

Agora, o Tricolor segue com três opções de "homem referência", mas substituindo uma que era "carta fora do baralho" por outra que acaba de chegar para se adaptar a um novo contexto.

Aval de Ceni

Bergson chega ao Fortaleza com total aprovação do técnico Rogério Ceni. O treinador leonino vê no atleta uma peça capaz de se encaixar no modelo de jogo utilizado no Pici. Mesmo sendo centroavante, a avaliação leonina é que Bergson tem boa mobilidade e capacidade de realizar desmarques, atacando as costas das linhas defensivas adversárias, o conhecido "facão".

Esta é uma característica importante para um time que joga em bastante velocidade, sem gostar de um "camisa 9" fixo, além de precisar de intensidade sem a bola para contribuir na marcação. Na avaliação leonina, o atacante é capaz de fazer isso.

Avaliação do Cifec

Quando o nome de Bergson surgiu, o Centro de Inteligência do Fortaleza (Cifec) foi acionado para fazer uma avaliação detalhada do histórico do jogador, captando informações, estatísticas e elaborando um relatório qualitativo e quantitativo dos últimos anos do atleta.

Municiado de informações, inclusive resgatando o melhor ano da carreira, na equipe do Paysandu, em 2017 o departamento também balizou a negociação com o atleta.

O Fortaleza já havia tentado contratar Bergson no começo de 2018, mas sem sucesso. Na ocasião, o atleta estava disputado e foi para o Athletico-PR.

Ambiente e confiança

Este é um importante aspecto para a contratação. O departamento de futebol do Fortaleza e os membros da comissão técnica acreditam que, estando em um novo clube, com um outro ambiente e um outro contexto, Bergson retomará a confiança e irá apresentar bom desempenho.

O técnico Rogério Ceni tem histórico de conseguir recuperar jogadores que estavam "em baixa". Foi assim com o atacante Romarinho, antes bastante criticado pela torcida do Fortaleza, e hoje visto como peça importantíssima; com o volante Juninho, que saiu do Ceará em baixa e se reencontrou no Tricolor, sendo hoje titular absoluto; e acredita-se que será assim também com David, que marcou dois gols nos últimos dois jogos do Leão.

A confiança é que Ceni será capaz também de recuperar o psicológico de Bergson.

Certo é que esta é uma contratação cercada de desconfianças e que só o tempo dirá se a resposta será positiva.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte