COI garante que 'não há razões' para duvidar da realização dos Jogos Olímpicos

Evento tem início marcado para o dia 23 de julho em Tóquio, no Japão

O Japão registrou aumento de casos do novo coronavírus na reta final de 2020
Legenda: O Japão registrou aumento de casos do novo coronavírus na reta final de 2020
Foto: Fabrice Coffrini / AFP

O alemão Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), afirmou nesta quarta-feira (10) que "não há razões para duvidar" que os Jogos de Tóquio, adiados para 2021 por causa da pandemia de Covid-19, vão começar no próximo dia 23 de julho.

Bach, que falava na abertura de Assembleia-Geral do COI, lembrou que "se têm disputado várias competições mundiais, o que prova que o esporte consegue se organizar de forma segura, mesmo sob as atuais restrições".

"A nossa prioridade tem sido, e será sempre, a segurança de todos os participantes nos Jogos e, claro, dos nossos anfitriões japoneses. O COI trabalha ombro a ombro com eles sem qualquer reserva. Tóquio continua sendo a cidade mais bem preparada para receber os Jogos", afirmou o mandatário.

O dirigente alemão lembrou que as competições que agora decorrem, muitas das quais de classificação para os Jogos, ainda não beneficiam do efeito da vacina contra o novo coronavírus, mas lembrou que quando chegar a Olimpíada serão "muitos os atletas já vacinados".

O Governo do Japão assumiu que será "difícil" permitir a entrada de torcedores estrangeiros para assistir aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, embora tenha destacado que não foi tomada uma decisão a esse respeito, o que deve acontecer até o final deste mês.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte