Análise: Leão perdeu jogo e ponto crucial contra outro adversário direto

O Fortaleza não fez uma grande partida no interior paulista, acabou sendo dominado pelo Bragantino no 2º tempo e sofrendo um gol no final

Legenda: Equipe de Chamusca chega ao 3º jogo sem vencer antes do Clássico-Rei de domingo
Foto: Ari Ferreira / RB Bragantino

Ao sofrer um gol nos minutos finais, o Fortaleza deixou escapar um ponto importante em sua caminhada na Série A do Brasileiro. O Leão amargou a derrota por 2 a 1 para o Bragantino, ontem, no Estádio Nabi Abi Chedid, que se explica por vacilo defensivo nos minutos finais e, acima de tudo, pela ineficiência no terço final do Tricolor do Pici.

Ouça o podcast 'FortalezaCast'

Foram 13 finalizações do Leão, segundo o site especializado em estatísticas SofaScore, com cinco em direção ao gol, exigindo bastante do goleiro do Massa Bruta, Cleiton. A estratégia tricolor era a mesma: esperar o contragolpe, explorar os espaços e apostar na velocidade.

Bergson e David fazem dupla de muita movimentação à frente, mas o desfalque de Romarinho, com Covid-19, foi sentido no duelo em Bragança. Mariano Vázquez foi titular pela 1ª vez em quase cinco meses, mas não desempenhou o papel de arrancada na transição ofensiva que o camisa 20 faz.

A conexão para o terço final dependeu de Osvaldo pela esquerda, liderando os contragolpes em um intenso 1º tempo. O gol contra de Carlinhos aos 13 minutos não mexeu com o ritmo do Leão, que conseguiu empate aos 45 em pênalti convertido por Juninho após o VAR confirmar a falta em Vázquez.

Queda

Porém, o desempenho do Fortaleza caiu durante a 2ª etapa, sem a organização para tabelar pelo meio e perturbado pela marcação forte do Massa Bruta, que manteve a intensidade para empurrar o oponente ao seu campo.

As entradas de Yuri César, Gabriel Dias e de Wellington Paulista deram fôlego na fase ofensiva e consistência na marcação. Entretanto, aos 42 minutos, Thonny Anderson aproveitou brecha na intermediária defensiva junto a Artur, que ultrapassou Gabriel na esquerda e devolveu para o meia na área, sem a marcação de Ronald, que veio do banco e relaxou no lance que definiu a derrota.

Sem tempo para reagir, o Leão do Pici lamentou as oportunidades perdidas com Osvaldo na etapa inicial e com David no 2º tempo. Essa ineficiência na finalização foi um ponto muito trabalhado nos treinos durante a semana, de acordo com Marcelo Chamusca. "O que mais treinamos na semana foi situações de finalizações, situações com e sem enfrentamento da defesa. Demos boa ênfase nesse aspecto. Trabalhamos transição ofensiva, no contra-ataque. Tem sido uma tônica o número de oportunidades criadas e sem a eficiência para transformá-las em resultado", analisou o comandante durante a coletiva pós-derrota.

Os 30 pontos mantêm o time cearense no meio da tabela. A sequência invicta de quatro jogos na competição foi quebrada, mas a atenção se volta para o Clássico-Rei do próximo domingo (20), a partir das 20h30. Outro confronto direto para o Fortaleza.

"Ganhar o Clássico é uma necessidade natural, é um campeonato à parte. Independentemente da sua posição na tabela, o Clássico é o Clássico. Sei o quanto ele é importante", ressaltou Chamusca.

Ficha Técnica

Série A do Brasileirão - 25ª rodada
Estádio Nabi Abi Chedid
12 de dezembro

Bragantino 2
Cleiton, Aderlan, Léo Ortiz, Ligger, Luan Cândido, Raul, Lucas Evangelista (Thonny Anderson), Artur, Cuello (Morato), Ytalo (Alerrandro), Claudinho (Ryller). Técnico: 
Maurício Barbieri

Fortaleza 1
Felipe Alves, Tinga, Jackson, Paulão, Carlinhos, Vázquez (Gabriel Dias), Felipe (Ronald), Juninho, Osvaldo (Yuri César), Bergson (W. Paulista), David (João Paulo). Técnico: Marcelo Chamusca

Árbitro: Héber Roberto Lopes; Gols: Carlinhos (contra) e Thonny Anderson (Bragantino), Juninho (Fortaleza); Cartões amarelos: Lucas Evangelista, Ligger, Luan Cândido (Bragantino) e Felipe (Fortaleza)

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte