Análise: Ceará vai mal em todos os setores e amarga derrota fora de casa

Abusando de erros defensivos, Vovô sofre 3 gols no 1º tempo e não consegue segurar o Bragantino, que foi superior por praticamente todo o jogo, vencendo por 4 a 2 de forma justa, em rara atuação taticamente ruim do time cearense

Legenda: O Ceará fez uma partida muito ruim ontem em Bragança Paulista e acabou derrotado
Foto: Israel Simonton / Cearasc.com

O Ceará do técnico Guto Ferreira é reconhecidamente um time sólido na defesa, com transição rápida no ataque, cedendo poucos espaços para a criação do adversário. E mesmo quando era pressionado, a equipe conseguia se segurar defensivamente. Mas ontem nada disso foi visto em campo, com o Vovô sendo facilmente derrotado por 4 a 2, quando foi envolvido pelo time da casa. Embora o desgaste da equipe seja visível, não é desculpa uma partida como a de ontem.

Desde o início, o que se viu em solo paulista foi um Ceará desorganizado defensivamente e também desconcentrado em grande parte do jogo.

>Guto Ferreira critica atuação do time contra o Bragantino

A fase defensiva alvinegra não se encontrou por todo o 1º tempo, com espaços no meio campo - Marthã substituía William Oliveira e não foi bem - Lima e Leandro Carvalho não faziam a recomposição, além dos laterais Samuel Xavier e Bruno Pacheco darem muito espaço para os pontas do Bragantino criarem, principalmente Artur.

Ouça o CearáCast

Powered by RedCircle

A ausência de Fernando Sobral - que iniciou no banco de reservas - deixou o Ceará sem a recomposição de sempre.

Assim, os zagueiros Luiz Otávio e Gabriel Lacerda ficavam expostos e perdiam praticamente todas no mano a mano e jogadas aéreas. O primeiro gol sofrido pelo Ceará saiu assim, logo aos 3 minutos, quando o zagueiro Ligger escorou para Léo Ortiz marcar. O gol sofrido cedo desmontou a tática montada por Guto Ferreira, que é geralmente reativa e de transição rápida ao ataque.

Legenda: Atacante Cléber pouco fez no confronto contra o Bragantino
Foto: Foto: Israel Simonton/cearasc.com

Assim, o Vovô tentou partir para cima, valorizar a posse de bola, mas cedeu ainda mais espaços, com o Bragantino perdendo três claras chances de ampliar, com Fernando Prass realizando boas defesas.

Foi quando aos 20 minutos, finalmente, o Ceará acertou uma boa jogada de ataque e empatou: após cruzamento de Bruno Pacheco, Samuel Xavier ajeitou de cabeça e Vinícius bateu forte para marcar um belo gol. O empate que em tese faria o Vozão voltar ao seu estilo e se reorganizar no jogo, não durou 3 minutos.

No lance seguinte, outra falha de cobertura defensiva permitiu o gol do adversário: Artur recebeu livre pela esquerda, bateu para boa defesa de Fernando Prass, mas no rebote, o atacante Bruno Tubarão aproveitou.

A partir daí, o domínio foi todo pelo Bragantino, com o Ceará respirando apenas em uma bela cobrança de falta de Vina, que o goleiro Júlio César defendeu quase no ângulo.

No mais, o Massa Bruta continuou melhor taticamente, no um contra um e chegando fácil na frente, com superioridade numérica.

E aos 44 minutos, o time de Maurício Barbieri marcou o terceiro: Bruno Tubarão arrancou pela esquerda em velocidade e cruzou rasteiro para Alerrandro bater de primeira.

Em vão

Na etapa final, Guto Ferreira voltou com Fernando Sobral e William Oliveira no meio, para melhorar o time, com as saídas de Marthã e Lima.

As alterações não fizeram efeito imediato, com o Massa Bruta marcando o 4º em bela jogada coletiva, envolvendo a defesa alvinegra.

Com 25 minutos, Guto Ferreira tirou peças importantes pensando no jogo de quarta-feira pela Copa do Brasil, pondo em campo Eduardo, Felipe Silva e Wescley. E o último ainda diminuiu o placar aos 43 minutos, em belo gol.

Ficha Técnica
Campeonato Brasileiro Série A
11ª rodada
Nabi A. Chedid, em Bragança P./SP

Bragantino 4
Júlio César, Raul, Léo Ortiz, Ligger, Weverson, Claudinho (Luis Phelipe), Ryller (Aderlan), Lucas Evangelista, Artur, Bruno Tubarão (Luan Cândido), Alerrandro (Hurtado) / Técnico: Barbieri

Ceará  2
Fernando Prass, Samuel Xavier (Eduardo), Gabriel Lacerda, Luiz Otávio, Bruno Pacheco, Marthã (William Oliveira), Charles, Vinícius (Wescley), Leandro Carvalho (Felipe), Lima  (Fernando Sobral), Cléber / Técnico: Guto Ferreira

Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes. Cartões: Claudinho, Ryller, L. Evangelista, L. Cândido (BRA) / L. Otávio, Marthã, Charles (CEA)
Gols: Léo Ortiz (5’ 1T), Bruno Tubarão (23’ 1T), Alerrandro (45´ 1T), Lucas Evangelista (16´ 2T); (BRA); Vinícius (20´ 1T), Wescley (44´ 2T) (CEA)

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte