Além do Ceará, outros Estados reduzem público no início de temporada: confira cada cenário

Enquanto o Ceará restringiu para 30% a capacidade dos estádios até 5 de fevereiro, a Bahia só permite 3 mil pessoas e Minas Gerais 20 mil

Legenda: O Campeonato Cearense já começou, mas sem a presença de Fortaleza e Ceará, os públicos ainda são reduzidos
Foto: Lenílson Santos / Ferroviário AC

O futebol brasileiro terminou 2021 com torcida no estádio, lotação máxima na reta final dos campeonatos e a esperança de que a pandemia tinha arrefecido e em 2022 seria o ano dos grandes públicos, sem restrições de capacidade de estádios.

Mas a realidade rapidamente mudou com a chegada da variante omicrom e o início da temporada 2022 é incerteza quanto aos grandes públicos nos estádios. A explosão de casos da nova variante fez com que o cenário seja de novas restrições neste início de temporada. Ainda que os principais Estaduais do país ainda não tenham iniciado, alguns Estados já restrigiram a capacidade de público.

No Ceará

Foi nesse cenário que o Governo do Estado do Ceará restringiu a capacidade dos estádios para 30% do total. O decreto do último dia 14 vai até 5 de fevereiro, com o Castelão podendo receber apenas 19 mil pessoas.

Como a 1ª Fase do Campeonato Cearense tem pouco apelo e públicos baixos, a medida não tem dado prejuizo aos clubes menores. Os jogos estão acontecendo em estádios menores e o maior público após o decreto do dia 14 foi entre Crato e Pacajus, com 483 pagantes. Antes do decreto restringindo o público, o maior tinha sido entre Icasa e Crato no dia 9, no Inaldão Lírio Callou, em Barbalha, com 1.177 pagantes.

Legenda: Com o novo decreto, válido até 5 de fevereiro, o Castelão só poderá receber 19 mil pessoas
Foto: THIAGO GADELHA

Mas caso o decreto mantenha a restrição de 30% de público, pode afetar diretamente Fortaleza e Ceará, que levam grandes públicos e terão um Clássico-Rei no dia 5 ou 6 pela Copa do Nordeste.

Antes disso, a partida entre Fortaleza e Floresta está marcada para o Castelão, no dia 2, pela Copa do Nordeste. Neste jogo, a capacidade máxima do estádio será de 19 mil pessoas.


Outros Estados

Além do Ceará, outros Estados já adotaram medidas de restrições. O Governo do Estado de São Paulo restrigiu em 70% o público no Paulistão já começará no dia 23 de janeiro.

Na Bahia, o Governo do Estado estipulou limite de 3 mil pessoas por partida. Em Pernambuco,de acordo com a nova determinação do Governo do Estado, a capacidade máxima permitida será 3 mil torcedores no Arruda, Ilha do Retiro, Aflitos e Arena de Pernambuco, e de 50% da capacidade nos estádios com capacidade abaixo de 6 mil lugares.

Em Estudo

Outros grandes centros do futebol brasileiro, com grandes torcidas estão definindo seus protocolos. No Rio de Janeiro, o campeonato Carioca de 2022 começaria com 100% de público, segundo anúncio da FERJ, mas já há um movimento para restringir público.

Em Minas Gerais, o Estadual começa dia 26 e no protocolo acordado entre a FMF e a Secretaria de Saúde, válido para as duas primeiras rodadas é de um público restrito de 20 mil pessoas.

O Atlético Mineiro publicou uma nota oficial contrário a restrição de público. Ao se posicionar de forma contrária diante de eventuais medidas que possam ser adotadas, o Atlético justifica que "o futebol não pode ser tratado de forma diferente das demais atividades". O clube lembra que outras atividades seguem funcionando normalmente mesmo diante do aumento de casos.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte