Minicurso Vem Empreender ensina sobre logística e operação de uma empresa

No último curso do projeto Vem Empreender - A Retomada, as aulas abordam diferentes aspectos da gestão logística

Legenda: Ter todas as áreas da logística alinhadas é um dos desafios dos empreendedores
Foto: Shutterstock

Durante o dia a dia de uma empresa, garantir que a matéria prima esteja disponível, que as entregas dos fornecedores cheguem no momento correto e que o estoque esteja sempre alinhado com a demanda dos consumidores são atribuições da área de logística. Por envolver diversos fatores que estão ligados ao sucesso de um negócio, a logística demanda atenção dos empreendedores. 

"Operação e logística”, o quarto e último minicurso do projeto Vem Empreender - A Retomada, foca em apresentar os conceitos básicos desse segmento para os empresários. De acordo com Danilo Vasconcelos, professor de administração da Universidade de Fortaleza (Unifor) e instrutor do curso, a gestão logística compreende o gerenciamento de recursos ao longo da cadeia de suprimentos, para que se atenda às necessidades dos consumidores. 

“Esses recursos são: materiais, insumos e produtos provenientes da produção, além da mão de obra, recursos financeiros e informações. Assim, empresas de qualquer porte têm a necessidade de uma gestão logística eficiente para se diferenciar no mercado em que atuam”, explica Danilo. Dessa forma, é importante ressaltar que essa atenção aos processos independe do porte da empresa, das pequenas às grandes. O gestor de logística é o profissional responsável por fazer com que essa rede funcione de forma adequada.  

Gestão de transportes

Função ligada à movimentação dos produtos de uma empresa e a disponibilização dos estoques na cadeia de suprimentos, os transportes englobam uma parte importante do processo logístico. Nesse âmbito, é comum a contratação de empresas terceirizadas ou operadores logísticos remunerados por transporte, como forma de reduzir os custos financeiros. 

No caso de empresas que possuem uma demanda mais especializada, há a possibilidade de integrar esse quesito, por meio de uma frota própria, o que é chamado de verticalização do serviço. Essa alternativa, apesar de mais cara, é válida quando os produtos precisam de uma atenção diferenciada.

São cinco as opções de modais disponíveis para transporte: rodoviário, ferroviário, aquaviário, aéreo e dutoviário. De acordo com Danilo Vasconcelos, o mais interessante para o empresário é que seja estudado qual o modal que mais se adequa ao cotidiano da empresa. “Isso vai variar dependendo de diversos fatores, como: tipo de carga, urgência na entrega, valor de nota fiscal etc. A multimodalidade consiste na combinação de diferentes modais em uma mesma operação, sendo essa uma estratégia mais indicada para contemplar todas essas variáveis.”

O transporte está diretamente ligado à avaliação que o cliente fará da experiência com a empresa. Logo, o cumprimento de prazos deve sempre estar na mente do empreendedor, como no momento da busca por uma empresa terceirizada de confiança. Além da perda de confiança do comprador, um sistema de transporte ineficiente também acarreta no aumento de custos, queda da competitividade e prejudica a viabilidade financeira da operação logística. 

No vídeo a seguir, o professor Danilo Vasconcelos descreve os principais aspectos de uma gestão de transportes, além de especificar os pontos positivos e negativos de cada modal. 

Gestão de estoques

Nem mais, nem menos. No caso dos estoques, o ideal para uma operação fluida é ter a quantidade ideal para manter as operações funcionando. Pouco estoque pode acarretar na falta de itens, o que prejudica as vendas, e o excesso resulta no desperdício de recursos investidos. Uma boa gestão de armazenagem também garante a integridade dos objetos, com o cuidado no manuseio das embalagens. 

“A realização de uma previsão de demanda confiável, a redução dos níveis de estoque (alinhados à essa demanda) e uma maior rotatividade desse estoque, associadas a um sistema de monitoramento e controle do desempenho operacional, tem sido uma estratégia adotada por muitas empresas para melhorar seus resultados quanto a redução dos desperdícios”, analisa Danilo Vasconcelos. 

Em relação a modernização da logística de estoques, o professor cita a identificação por rádio frequência (conhecida como RFID), que identifica itens automaticamente em centros de distribuição, e o uso de Inteligência Artificial (IA) na condução de veículos autônomos para a distribuição física de mercadorias. 

O chamado estoque de segurança é uma estratégia que visa garantir uma quantidade mínima para atender aos consumidores, mas também precisa conseguir ser facilmente reposto para que não ocorra a falta dos produtos. Já o estoque médio leva em consideração as variações do mercado e o fluxo de abastecimento. Em períodos específicos em que há uma procura maior, ou menor, por um produto, deve ser feita a adequação necessária para cada cenário. 

Cadeia de suprimentos

O funcionamento de toda a rede de logística para o dia a dia de uma empresa é definido pela cadeia de suprimentos. Nela, estão envolvidos os fabricantes, fornecedores, transportadoras, armazéns, varejistas e outros atores que trabalham para que um produto ou serviço seja entregue da forma adequada. 

Por ser composta por diversos elementos, a cadeia demanda também que os empresários e gestores estejam alinhados com todas as informações sobre os envolvidos, para que ocorra uma integração das atividades. 

Danilo Vasconcelos dá exemplo de alguns gargalos que podem surgir na cadeia de suprimentos. “Isso pode acontecer devido ao acúmulo de produtos na linha de montagem em decorrência de uma máquina parada, ou mesmo do grande volume de caminhões parados na entrada do porto devido a uma queda no sistema que controla o recebimento e a liberação dos containers.” 

Veja mais detalhes e revise o que você aprendeu: 

Baixe o E-book “Operação e logística”. 

Responda ao questionário abaixo para receber o certificado de participação do quarto minicurso do projeto Vem Empreender. 

Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail: eges@unifor.br. Escritório de Gestão Empreendedorismo e Sustentabilidade (EGES) | De segunda a sexta-feira, de 8 às 18h. 

Quero receber conteúdos exclusivos do Vem Empreender