WhatsApp, Instagram e Facebook começam a voltar ao ar após instabilidade; Zuckerberg pede desculpas

Redes sociais administradas pelo Facebook caíram no fim da manhã desta segunda-feira (4)

Homem com celular na mão e aplicativos do WhatsApp, Facebook e Instagram abertos
Legenda: Assim como o WhatsApp, Facebook e Instagram, o Messenger também apresentou instabilidade
Foto: Shutterstock

Os aplicativos WhatsApp, Instagram e Facebook começaram a ser estabilizados e voltar a funcionar para alguns usuários no começo da noite desta segunda-feira (4), cerca de seis horas após apresentarem queda mundial.

"Facebook, Instagram, WhatsApp e Messenger estão voltando agora. Desculpem pela interrupção de hoje. Eu sei o quanto vocês confiam em nossos serviços para ficarem conectados com as pessoas de quem gostam", escreveu Mark Zuckerberg, proprietário da empresa que reúne as redes sociais. Ele não deu explicações.

No início da tarde, por volta das 12h50, os três foram alvo de reclamações no site Downdetector, que faz análise de falhas em sites, aplicativos e outras plataformas. Às 13h, pelo menos 17 mil reclamações já haviam sido computadas.

Horas após o início dos problemas, segundo o jornal norte-americano The New York Times, uma pequena equipe de funcionários do Facebook foi enviada aos data centers da empresa em Santa Clara, na Califórnia, nos EUA, com o objetivo de reiniciar manualmente os servidores que armazenam os dados das redes. 

Durante a pane mundial, a estimativa é de que Zuckerberg tenha sofrido uma perda estimada em US$ 5,9 bilhões de sua fortuna pessoal. Após fechar o pregão em queda de 4,98%, a ação do Facebook subia 0,33% no mercado "after hours" em Nova York, às 20h43 (horário de Brasília). 

Posicionamento no Twitter

Com a oscilação, o WhatsApp e o Instagram recorreram ao Twitter, outra rede social, para notificar os usuários sobre a resolução dos problemas.

foto do whatsapp
Legenda: Em comunicado no Twitter, o Whatsapp avisou que está trabalhando para que as coisas voltem ao normal
Foto: Reprodução

O Facebook também divulgou comunicado: "Estamos cientes de que as pessoas estão tendo dificuldade para acessar nossos aplicativos e produtos. Estamos trabalhando para que tudo volte ao normal o quanto antes", escreveu. 

Causa do problema

Mesmo sem posicionamento oficial, integrantes do time de segurança do Facebook relataram ao New York Times, sigilosamente, que a causa da oscilação teria origem nos servidores da companhia.

Dessa forma, excluíram a possibilidade de ataques hackers, pontuando que os três aplicativos possuem tecnologias diferentes, impossíveis de seres afetadas simultaneamente por apenas uma invasão.