Responsáveis pela Covaxin solicitam reunião com a Anvisa sobre pedido de uso emergencial

Reunião faz parte dos procedimentos para que seja formalizado o pedido junto à agência

covaxin
Legenda: Vacina é desenvolvida por laboratório indiano
Foto: AFP

O laboratório responsável pela vacina Covaxin solicitou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reunião para submissão prévia do pedido de uso emergencial do imunizante no País. 

Em nota divulgada na noite desta segunda-feira (8), a Anvisa frisou que não houve pedido de uso emergencial da vacina indiana no Brasil "e por isso não há prazo em andamento para a análise" do imunizante.

Segundo a agência, conforme o Guia de Uso Emergencial, esta reunião de submissão prévia deve ser feita antes do pedido de uso emergencial de vacinas no Brasil. A etapa serve para que a equipe técnica da Anvisa possa avaliar se há dados suficientes para que o laboratório - no caso, a Precisa Medicamentos, representante da Bharat Biotech no País - faça o pedido de uso emergencial.

No último dia 19 de fevereiro, o Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União dois extratos de dispensa de licitação para comprar as vacinas Sputnik V e Covaxin, desenvolvidas respectivamente por laboratórios russos e indianos. No dia 25, a Pasta informou que assinou contrato com a empresa da Covaxin para a compra de 20 milhões de doses da vacina. A aplicação, porém, depende do aval da Anvisa.

Até agora, têm aprovação para uso emergencial no País apenas a Coronavac (no Brasil, produzida pelo Instituto Butantan) e a Oxford/Astrazeneca (da Fiocruz).

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil