Jornalista relata viagem de saída do Afeganistão: 'açoitavam pessoas com mangueiras'

Lourival Sant'Anna foi enviado como correspondente brasileiro da CNN ao país

Legenda: Junto da equipe, Lourival passou cerca de cinco horas de carro para deixar o Afeganistão
Foto: reprodução/CNN

O jornalista Lourival Sant'Anna, enviado pela emissora CNN para cobertura da retomada do Talibã no Afeganistão, detalhou os momentos para deixar o território afegão e retornar ao Brasil nesta quarta-feira (15). "Mais penosa do que a ida", definiu o profissional.

Com a falta de voos regulares no aeroporto de Cabul, capital do país, Lourival deixou o local de carro, seguindo o trajeto por terra até a fronteira com o Paquistão.

Segundo o repórter, os militantes do Talibã estão preocupados com quem deixa o Afeganistão. O controle acontece de forma acentuada há um mês, período em que o grupo extremista conseguiu reaver o território.

"A minha volta do Afeganistão até o Paquistão foi mais penosa do que a ida do Brasil ao Afeganistão. Nós fomos parados em seis postos de controle dos talibãs na estrada e vários deles questionaram os motivos pelos quais eu estava indo embora de carro", contou.

Revista e açoite

Segundo o correspondente, malas foram revistadas no trajeto de saída, enquanto a parte mais difícil da viagem ocorreu já na fronteira com o Paquistão. 

Ao todo, ele conta, foram cinco horas de viagem até o posto de imigração, que estava lotado e com uma fila caótica. No local, cidadãos tentavam deixar o país que está sob as regras do grupo.

"Crianças, mulheres e idosos desesperados tentando sair do Afeganistão. E em momentos que os talibãs sentiam que estavam perdendo o controle da situação, eles açoitavam as pessoas com mangueiras", revelou o jornalista.

Quase atingido por um dos açoites, Lourival ainda pontuou que foram necessárias três horas para cruzar a fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo