Europa vive 'trégua' na Covid-19 que pode levar ao fim da pandemia, diz OMS

Alto percentual de população vacinada é um dos motivos apontados pela organização

crianças sendo vacinadas
Legenda: Vacinação é um dos motivos apontados pela OMS para a boa perspectiva. Na foto, crianças são vacinadas na França
Foto: Pascal Pochard-Casabianca/AFP

Dois anos depois da explosão da pandemia de Covid-19, a Europa pode entrar em breve "em um longo período de tranquilidade", graças aos elevados percentuais de população vacinada, à escassa virulência da variante Ômicron e ao fim do inverno, afirmou,nesta quinta-feira (3), a Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Este contexto, que até agora não vivemos nesta pandemia, nos dá a possibilidade de um longo período de tranquilidade", afirmou o diretor para a Europa da OMS, Hans Kluge. "Uma 'trégua' que poderia trazer uma paz duradoura", completou.

Mas esta situação vai perdurar apenas se a imunidade for preservada, ou seja, caso continuem as campanhas de vacinação, e se o surgimento de novas variantes for monitorado, destacou Kluge, antes de pedir aos governos que protejam especialmente a população mais vulnerável.

Ômicron na Europa

A região Europa da OMS inclui 53 países, alguns deles na Ásia central. Em todos, os contágios de Covid-19 dispararam devido à Ômicron.

Na semana passada, a região registrou quase 12 milhões de novos casos, de acordo com os números da OMS, o número mais elevado desde o início da pandemia há dois anos. Vários países europeus, como Dinamarca, França e Reino Unido, reduziram as restrições.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo