Erupção do vulcão Kilauea no Havaí segue com atividade intensa, mas não ameaça habitantes

Segundo projeções de especialistas, a lava está limitada à cratera central e ainda não apresenta risco para a região

Erupção do vulcão Kilauea tem alta intensidade na cratera central.
Legenda: Erupção do vulcão Kilauea tem alta intensidade na cratera central.
Foto: M. Patrick/US Geological Survey/AFP

O vulcão Kilauea, um dos mais ativos do mundo, entrou em erupção nesta quarta-feira (29) no Havaí, nos Estados Unidos. Segundo projeções, a lava está limitada à cratera central e não ameaça as regiões habitadas, anunciaram autoridades.

"As fontes de lava atingiram a altura de um prédio de cinco andares", informou o Instituto Geofísico dos Estados Unidos (USGS) no Twitter, juntamente com um vídeo. As primeiras fissuras apareceram na cratera Halema'uma'u na tarde de ontem. Elas deram origem rapidamente às "fontes de lava", que às vezes superam 1.100°C de temperatura, segundo o USGS.

As erupções frequentes do Kilauea desde a década de 1950 o tornaram um destino atraente para turistas. Autoridades do Parque Nacional de Vulcões do Havaí, onde ele se encontra, começaram a mobilizar funcionários para organizar a chegada esperada de visitantes.

O vulcão Kilauea é um dos cinco localizados na ilha de Havaí, a maior do arquipélago, localizado no Pacífico. Em 2018, uma erupção destruiu centenas de casas. Cerca de 20 pessoas que faziam um passeio de barco para observar o magma chegando ao mar foram feridas pela lava, uma delas gravemente.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo