Leonard, o 'Cometa de Natal', vai passar próximo à Terra na semana que vem; saiba como observar

O cometa foi descoberto em janeiro deste ano e deve sumir do sistema solar após 'concluir viagem' rumo ao Sol

Cometa Leonard visto por telescópio no Novo México.
Legenda: Cometa Leonard visto por telescópio no Novo México.
Foto: Kometarium

O cometa Leonard, descoberto em janeiro deste ano, vai fazer uma aparição única na Terra na próxima semana. Segundo uma trajetória projetada por cientistas da Agência Espacial Norte-americana (Nasa), o cometa deve passar o mais próximo possível à Terra entre os dias 8 e 12. Ele segue viagem rumo ao Sol

Se as condições meteorológicas forem favoráveis, Leonard, ou "Cometa de Natal", como alguns portais de notícias sobre ciência o têm chamado, vai poder ser visto a olho nu,  próximo à linha oeste do horizonte, em quase todos os países da América Latina nesse período.

Como ver a passagem do cometa? 


A principal recomendação para ter uma visão privilegiada da passagem do cometa é buscar lugares sem poluição visual, com horizonte e céu limpos. Binóculos e telescópios podem ajudar a localizá-lo e rastreá-lo.

Segundo pesquisadores, a 'cauda' de poeira característica desse tipo de astro tem um brilho de magnitude quatro, semelhante ao de uma estrela média.

Quando exatamente o cometa poderá ser visto? 


Devido à imprevisibilidade dos cometas, a Nasa não consegue ainda precisar exatamente quando e a que horas Leonard vai estar mais próximo da Terra.  

Há um indicativo, porém, de acordo com a BBC, de que o dia 12 seja o mais favorável, quando o astro vai estar a cerca de 35 milhões de quilômetros de distância do planeta. Nesse dia, o ideal é tentar ver o fenômeno antes do amanhecer.

Um perfil no Twitter chamado 'Comet C/2021 A1 (LEONARD)' dá atualizações sobre a situação atual do cometa e dicas para vê-lo. Acompanhe:

Cometa Leonard 


O cometa Leonard foi descoberto em janeiro deste ano quando estava de passagem entre os planetas Marte e Júpiter. Quem o observou primeiro foi Greg Leonard, pesquisador sênior da Universidade do Arizona, segundo o USA Today.

Ao periódico norte-americano, o astrofísico e fundador do projeto 'Telescópio Virtual', Gianluca Masi, explicou que Leonard é um cometa de aparições raras. A última vez que passou pela Terra foi há mais de 70 mil anos. E, assim que passe pelo Sol, deve ser ejetado do sistema solar e pode nunca mais ser visto na Terra.

"Isso torna a observação deste cometa ainda mais emocionante, pois diremos 'adeus' a este pequeno mundo gelado", disse Masi ao USA Today.