Ao perdedor do Clássico-Rei: o Brasileirão não acaba hoje

Independente do resultado do clássico, o perdedor ainda seguirá vivo na busca por seus objetivos e precisará demonstrar maturidade para assimilar o revés

Vina e Ederson em disputa de bola
Legenda: Vina e Ederson são dois dos principais jogadores do Clássico-Rei
Foto: Thiago Gadelha

O Clássico-Rei é um campeonato a parte dentro da Série A. Para Fortaleza e Ceará, vale bem mais que três pontos. Tem muita coisa em jogo. Significa aumento de confiança, maior tranquilidade e um clima extremamente positivo, além de ocasionar efeito inverso ao maior rival. É um jogo que mexe com as emoções. Porém, uma análise mais racional levanta um ponto importante ao time perdedor do Clássico-Rei: o Brasileirão não acaba hoje.

É fato que quem vencer o clássico sai muito fortalecido para a sequência da competição. Os últimos anos provam isso. Em 2019, o Fortaleza triunfou na 32ª rodada e desde então não perdeu mais, acumulando quatro vitórias e dois empates nos jogos restantes daquele ano, estabelecendo sua melhor campanha na era dos pontos corridos e quase conseguindo classificação para a Libertadores.

Por outro lado, o Ceará foi ladeira abaixo e só escapou do rebaixamento na última rodada, pela incompetência do Cruzeiro.

Em 2020, o Alvinegro foi quem saiu vitorioso, na 26ª rodada, e desde então arrancou para a sua melhor campanha na era dos pontos corridos, enquanto o Fortaleza que foi ladeira abaixo e só escapou do rebaixamento no saldo de gols, por conta da incompetência do Vasco.

Ainda tem campeonato pela frente

Mas vale lembrar: depois do duelo de 20 horas desta quarta-feira (17), na Arena Castelão, ainda restarão cinco jogos para cada time. É 13% do campeonato, com 15 pontos em disputa. O suficiente para que eles ainda possam seguir lutando por seus objetivos.

O ganhador sairá com os aspectos positivos já citados e um reforço importantíssimo de três pontos na tabela.

Para o Fortaleza, triunfo garante os 52 pontos e retorno ao G-5 (ou até G-4, em caso de tropeço do Corinthians), encaminhando a classificação inédita para a Taça Libertadores.

Para o Ceará, vitória faz atingir o 'número mágico' de 45 pontos, acaba com qualquer resquício matemático de rebaixamento, praticamente assegura vaga na Copa Sul-Americana e coloca de vez o Vovô na briga por uma classificação também para a Libertadores.

Mas o perdedor, independente do lado, também seguirá vivo na busca por esses objetivos. E precisará demonstrar muita maturidade para saber assimilar o golpe e reagir rápido para que um revés no clássico não coloque em xeque a luta por objetivos maiores.

O Clássico-Rei é importantíssimo, mas o Brasileirão não acaba hoje.