Análise: resultado no Clássico da Paz é mais mérito do Ferroviário que demérito do Ceará

Tubarão da Barra levou a melhor por 2 a 1 na estreia dos dois times na 2ª fase do Campeonato Cearense

classico da paz
Legenda: Clássico foi o primeiro disputado no Estádio Franzé Moraes, em Itaitinga
Foto: Kid Junior/SVM

A vitória do Ferroviário por 2 a 1 sobre o Ceará, no Clássico da Paz desta quarta-feira (10), que abriu a 2ª fase do Campeonato Cearense para as duas equipes, é daquelas partidas que, em tese, surpreendem. O natural favoritismo ficaria para o time da Série A, com elenco de maior investimento, que enfrentava uma equipe da Série C e que tem uma realidade financeira mais modesta. Mas, dentre tantos aspectos, o futebol é fantástico (também) por não somente seguir uma linha óbvia.

Ouça o podcast 'CearáCast'

Há uma tendência de se enxergar o jogo e o placar pelo prisma daquele que trazia consigo o inerente favoritismo. E, a partir daí, encontrar mais erros no lado alvinegro que acertos no coral.

Mas a realidade é que o que se viu em campo, no desempenho das equipes e também no resultado, é mais reflexo sobre o Tubarão da Barra que sobre o Alvinegro de Porangabuçu. Se faz necessário reconhecer que houve mais mérito do Ferrão que demérito do Vozão.

Foi o Ferroviário que venceu o Ceará.

A se destacar

Legenda: Wendson marcou os dois gols da partida
Foto: Kid Junior

O Ferroviário do técnico Francisco Diá vem embalado. Campeão da Taça Fares Lopes, foi também o melhor colocado na 1ª fase do Estadual, com cinco vitórias, um empate e somente uma derrota na etapa inicial, assegurando vaga na Copa do Brasil 2022.

Não fez um jogo brilhante, mas se mostrou uma equipe competitiva.

Reflexo de um time que, dentro das suas limitações, é bem treinado, apresenta organização, é lúcido em campo e possui entrega coletiva para executar o plano de jogo estabelecido pelo experiente comandante. Foi isso que se viu no Estádio Franzé Moraes, em Itaitinga.

Até mesmo poupando alguns titulares importantes, como o meio-campista Diego Lorenzi e o atacante artilheiro Adilson Bahia (que tem 6 gols no Estadual), o time coral teve boa postura e apresentação, contando com um Wendson inspirado para marcar os dois gols.

A se melhorar

Do lado alvinegro, era natural também que erros ocorressem em uma equipe com jogadores que ainda buscam melhor condicionamento físico e entrosamento. O encaixe está longe de ser o ideal.

O Ceará passa por um processo de início de temporada que exige paciência do torcedor. Com os novos contratados que estão chegando e os jovens jogadores que estão subindo para o profissional e, aos poucos, ganhando mais espaço. Isso só evoluirá com o tempo e muita cautela.

Não é possível, ainda, fazer análises definitivas. É momento de análises e percepções.

Porém, poderia ter sido melhor? Claro que sim. Ao menos um pouco melhor. A saída de bola com Oliveira e Fabinho não fluiu tão bem, assim como Felipe Baxola, recebendo mais uma oportunidade atuando centralizado, como meia 'camisa 10' mesmo, que lhe é de origem, voltou a decepcionar, não produzindo absolutamente nada.

jael jacaré
Legenda: Jael e Jacaré foram as principais peças ofensivas do Ceará
Foto: Kid Junior/SVM

Das estreias, a mais positiva foi a do centroavante Jael. A bola não chegou tanto, mas mostrou presença de área, bom senso de posicionamento, força física para realizar o pivô e qualidade de finalização, quase marcando em duas oportunidades.

Balanço final

Ferroviário
Legenda: Ferroviário impôs marcação forte ao Ceará
Foto: Kid Junior/SVM

No geral, um jogo longe de ser brilhante, mas com um resultado que reflete mais os méritos e entrega do Ferroviário para conquistar os primeiros três pontos na tabela da 2ª fase, que propriamente os problemas do Ceará.