Tiago Nunes tem missão de variar tática do Ceará; veja atletas com mais de uma posição no elenco

O técnico foi contratado pelo maior repertório de sistemas no momento de organizar a equipe

Tiago Nunes sorri e segura boné em treino do Ceará
Legenda: Tiago Nunes assinou contrato com o Ceará até dezembro de 2022
Foto: Thiago Gadelha / SVM

O técnico Tiago Nunes chegou ao Ceará Sporting Club com diversas missões para a sequência da temporada de 2021, mas uma das principais é a mudança de perfil tático. A competitividade precisa de maior rendimento ofensivo para se somar a solidez defensiva existente.

Com tempo para trabalhar até a estreia, a expectativa é de alteração no comportamento coletivo na Série A. E o elenco alvinegro tem o aval da nova comissão: o projeto é potencializar os jogadores atuais com o uso de diferentes posições, funções e modelos táticos de jogo.

"As característica dos jogadores (do Ceará) são potentes fisicamente, com capacidade de jogar em mais de uma função pela perfomance que já vem apresentando em várias temporadas. Falei isso aos atletas. O Ceará está crescendo, a cada ano demonstra crescimento e competir por títulos. Me seduz esse tipo de desafio, esse tipo de perfil de jogador", declarou.

Para tal, é necessária adaptações no padrão apresentado pela equipe nos últimos anos. No momento de destaque sob comando de Guto Ferreira, o time adotava principalmente o 4-2-3-1, com uso de transições rápidas, velocidade nas pontas e uma forte marcação no meio-campo.

Possíveis acréscimos táticos de Tiago Nunes no Ceará:

  • 4-3-3 e 4-1-4-1 (um volante de contenção e dois meia/volante com qualidade de passe)
  • Saída de bola com três jogadores (lateral, meia ou volante auxiliando o lance)
  • Atacantes de lado atuando próximos e ocupando o meio-campo
  • Construção defensiva com o uso do goleiro
  • Superioridade numérica no ataque (entrar na área adversária com muitos atletas)

Tiago Nunes conversa com goleiro João Ricardo durante treino do Ceará
Legenda: A estreia de Tiago Nunes no Ceará está prevista para o dia 12 de setembro contra o Grêmio
Foto: Thiago Gadelha / SVM

Os conceitos podem tornar a equipe mais propositiva, ou seja, com predisposição ao ataque. Após estudo detalhado do elenco, Tiago Nunes acredita que as peças disponíveis apresentam as características necessárias para implementar funções pontuais e evoluir.

"Em uma competição com tantos jogos, calendário com descanso cada vez mais apertado, a qualidade técnica cai. Devemos aproveitar defensivamente o que já se tem, que é uma equipe muito estruturada, com transições fortes e fisicamente também, e tentar explorar, no tempo certo, os jogadores que tem exponencial para poder resolver dentro de cada momento", explicou.

Função X Posição

Na leitura do futebol contemporâneo, dois termos estão muito presentes no discurso atual: função e posição. Na apresentação no Ceará, o próprio Tiago Nunes fez um paralelo com as nomenclaturas.

"Existe uma diferença signficativa entre posição e função. Se a gente pegar o desenho tático, uma visão aérea por exemplo, a posição as vezes nos mostra um 4-4-2, 4-2-3-1 ou 4-3-3, mas a função varia de acordo com o jogo, de onde os espaços serão oportunizados para ser tirar proveito do adversário, de qual jogador tem que colocar em cada setor. Então tem que ter conexão entre lateral, meia e atacante do mesmo setor. E isso faz um lado forte defensivo, ou de mais construção e velocidade. Essas alternâncias variam de acordo com o que vamos encontrar no perfil do grupo, do jogo e do adversário", detalhou.

Assim, é importante definir os dois aspectos. A posição é a região de campo ocupado por um jogador, o espaço que deve ter como referência no esquema tático. No 4-2-1-3, o meia é o atleta que fica na frente dos volantes e atrás da linha ofensiva formado por três atacantes.

Lima comemora gol pelo Ceará
Legenda: Lima é um atacante de lado que cumpre papel defensivo e participa da armação pelo meio-campo
Foto: Thiago Gadelha / SVM

Já a função atende ao modelo de jogo, o que o referido jogador deve fazer naquela faixa de campo. O elemento envolve os comportamentos dele com e sem a bola, em momentos de ataque e defesa.

No caso alvinegro, há diversas peças no elenco que podem desempenhar diferentes posições e, consequentemente, receber mais funções no jogo. Traçando o retrospecto da carreira, alguns que possuem essa polivalência ja exerceram no Ceará.

  • Gabriel Dias: lateral direito ou volante
  • Kelvyn: lateral esquerdo, volante ou atacante de lado
  • Fabinho: volante e lateral direito
  • Fernando Sobral: volante, lateral direito ou atacante de lado
  • Geovane: volante ou meia
  • Pedro Naressi: volante ou meia
  • Marlon: volante, meia ou atacante de lado 
  • Vina: meia ou centroavante
  • Lima: atacante de lado ou meia
  • Stiven Mendoza: atacante de lado ou meia
  • Airton: atacante de lado ou centroavante
  • Yony González: atacante de lado ou centroavante