Motivos, perfil e objetivos para escolha do novo técnico do Fortaleza

Juan Pablo Vojvoda aceitou a proposta do time cearense e chega após ser vice-campeão chileno

Juan Pablo Vovjoda em treino no futebol argentino
Legenda: Juan Pablo Vovjota é adepto de perfil ofensivo e posse de bola
Foto: Javier Torres / AFP

O argentino Juan Pablo Vojvoda foi o escolhido como novo técnico do Fortaleza. Após mais de uma semana de busca no mercado, a diretoria tricolor acertou com o comandante para a sequência de 2021. E o principal ponto no acordo foi o perfil: postura ofensiva, posse de bola e intensidade.

O treinador de 45 anos teve carreira como atleta e abandonou a faculdade de medicina devido à paixão pelo futebol, apesar do apelido de 'El Doctor'. Atual vice-campeão chileno com o Unión La Calera, não aceitou a renovação e ficou em busca de um próximo desafio.

Vovjota em comemoração
Legenda: Vojvoda tem estilo de jogo ofensivo e de posse de bola
Foto: Defensa y Justicia

A opção ocorre pelo conjunto de aspectos que Vojvoda pode oferecer ao Fortaleza. O técnico assistiu aos últimos jogos, destrinchou o elenco e já conhece a estrutura do novo clube: seja conhecendo o que terá para trabalhar.

É evidente que a escolha por um técnico não significa resultado imediato, são muitos fatores que envolvem o êxito. No entanto, o desejo de mudança de perfil significa também a ambição da gestão tricolor em apresentar um clube competitivo, com vocação na busca pela vitória. 

Trajetória

Principais pontos para escolha de Vojvoda

  • Tem como prioridade o ataque, ser protagonista, intenso e agressivo
  • A recuperação da bola em todos os momentos, com todo o coletivo
  • Revelação de atletas das categorias de base
  • Rotina de treino intensa e exigência física do atleta para a titularidade
  • Estilo de liderança no grupo
  • Metodologia de trabalho próprio, com inspiração em Marcelo Bielsa
  • Adequação financeira para manter o equilíbrio financeiro
  • Aceitar a proposta como desafio pessoal
  • Histórico de grandes resultados com times de menor investimento, como nas classificações do Defensa Y Justicia para a Sul-Americana, além do Talleres e do Unión La Calera para a Libertadores.

Dentro da negociação, o próprio Vojvoda também traçou objetivos no Fortaleza. O técnico iniciou a trajetória à beira do gramado em 2013 e ficou conhecido no cenário sul-americano por times com DNA tático definido e grandes resultados, apesar de menor investimento.

“O que eu mais quero é ser simples quando eu repassar a mensagem para o jogador, porque o futebol é simples. Se eu tiver que me complicar, faça isso no escritório técnico”.
Juan Pablo Vojvoda
Em declaração ao jornal argentino La Nación

Quando trabalhou no Defensa Y Justicia, por exemplo, o comandante e a família moravam dentro do Centro de Treinamento. A escolha foi definida para se aproximar da rotina de treinos e também trocar experiência com as demais comissões técnicas que tinham de usar o equipamento.

Objetivos traçados por Vojvoda no Fortaleza

  • Elevar o nível do elenco
  • Conseguir uma ideia de jogo com a qual possa identificar o Fortaleza
  • Promover maior uso da base
  • Comprometer os atletas ao treinamento de maior intensidade
  • Inserir a filosofia de que todos devem preferir ganhar jogando bem do que ganhar jogando mal
  • Inserir a filosofia de que o êxito no futebol é somente buscar a vitória

Estilo tático

As inspirações de Vojvoda são baseadas em dois treinadores: Tata Martino e Bielsa. Os dois argentinos tiveram destaque internacional e conseguiram assumir também a Seleção da Argentina.

“Se juntar a metodologia de trabalho de Bielsa e a comunicação de Tata chegará ao êxito”.
Juan Pablo Vojvoda
Em declaração ao jornal argentino La Nación

Assim, o técnico apresenta um perfil tático ousado e busca administrar o vestiário da melhor forma. Diante dos adversários, a proposta é se adequar aos pontos fracos do rival e também impor o padrão definido nos treinamentos.

Características principais do modo de jogo de Vojvoda

  • Esquemas táticos preferidos: 4-3-3 | 4-2-3-1 | 3-5-2
  • Velocidade na transição ofensiva e defensiva
  • Marcação intensa em bloco alto
  • Defensores agressivos na recuperação da bola
  • Manutenção do ritmo durante o jogo com a posse
  • Atacantes com movimentação em organização ofensiva
  • Busca por vitória individual na briga de ocupação do campo

Na concepção histórica, o profissional será o 2º técnico estrangeiro no Fortaleza. Segundo o jornalista e historiador Luca Laprovitera, o pioneiro foi o argentino Dante Bianchi, em 1964. O treinador comandou o time por 20  jogos oficiais e quatro amistosos, sendo campeão do Torneio Início na época.