UFC estreia “Ilha da Luta” com zona de segurança e mais de 3 mil testes

Evento deste fim de semana promete ser de grande repercussão e conta com a participação de sete brasileiros no octógono. Três lutas serão disputas por cinturão. Entre elas, o confronto entre José Aldo e Petr Yan, no peso-galo

Legenda: José Aldo não conseguiu se impor novamente e foi derrotado
Foto: GARY A. VASQUEZ/TODAY SPORTS

Depois de realizar oito eventos durante a pandemia do novo coronavírus, o UFC estreia sua “Ilha da Luta” neste sábado (11), em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, que tem 54.050 casos confirmados de Covid-19 e 330 mortes. Contando agora com a sua própria estrutura, a organização aumentou o rigor do protocolo de segurança. Foram realizados aproximadamente 3,3 mil testes da doença antes e depois da chegada dos atletas ao local.

Na Ilha de Yas, um trecho de 11 quilômetros será fechado para proibir a entrada de residentes de Abu Dabi. De acordo com o UFC, serão mais de 2,5 mil pessoas entre equipes, atletas e funcionários, alojados na “zona de segurança” durante o mês de julho.

Os lutadores vão contar com 17 equipes médicas em três instalações. Além dos chamados “túneis de vento”, equipamentos que prometem matar 99% das bactérias. O protocolo também inclui o uso de máscara, distanciamento social e triagem noturna para a checagem de temperatura.

“Saúde e segurança serão fundamentais na Ilha de Yas, como tem sido em todos os eventos do UFC desde o retorno em maio. O UFC e Abu Dabi trabalharam juntos com entidades governamentais dos Emirados Árabes Unidos para garantir a realização dos eventos da maneira mais eficiente e segura possível e aderindo às medidas de segurança do governo”, diz trecho do guia de informações da organização.

Na “zona de segurança”, o UFC também garantiu o entretenimento para os atletas e seus funcionários. Além de uma série de restaurantes, o espaço inclui passeios de caiaque na praia de Yas, o campo de golfe número 1 do Oriente Médio e o W Hotel, local que conta com a única pista de Fórmula 1 do mundo dentro de um hotel.
“A infraestrutura que construímos na UFC Fight Island criou uma experiência única para todos. Do octógono na praia, passando pelas instalações de treinamento, a zona de segurança, os restaurantes e a incrível arena, esse é realmente um destino que só poderia ser imaginado”, diz Dana White, presidente da organização.

Para mostrar todos os detalhes do local aos fãs, Dana White estreou no YouTube o quadro “Diário da Ilha da Luta”. Por lá, ele mostra toda a preparação do UFC para receber os próximos eventos da organização, além de detalhes dos bastidores e a chegada dos atletas. O primeiro episódio exibiu os testes de José Aldo e Jessica Andrade.

Eventos

O evento deste sábado vai contar com três disputas de cinturão e sete brasileiros em ação. A luta principal será pelo cinturão dos meio-médios entre Kamaru Usman e Jorge Masvidal. Na sequência aparecem Alexander Volkanovski x Max Holloway pelo peso-pena e Petr Yan x José Aldo pelo peso-galo.
Ainda no card principal do evento, Jéssica Bate-Estaca faz a revanche contra Rose Namajunas no peso-palha e Amanda Ribas enfrenta Paige Vanzant. Na etapa preliminar será a vez de Elizeu Capoeira, Léo Santos, Raulian Paiva, Karol Rosa e Vanessa Melo defenderem a bandeira do Brasil.

Legenda: Jéssica Bate-Estaca faz a revanche contra Rose Namajunas no peso-palha
Foto: UFC

De acordo com Rodrigo Minotauro, embaixador do UFC no Brasil e comentarista do canal Combate, os próximos eventos do UFC realizados em Abu Dabi podem garantir dois novos cinturões para o Brasil. As apostas do ex-lutador vão para um bom desempenho de José Aldo e Deiveson Figueiredo.

“São mais de 20 atletas brasileiros lutando nos quatro eventos. Poderemos sair dessa temporada na Ilha da Luta com dois novos cinturões para o Brasil: o do peso-galo com o José Aldo e o do peso-mosca com o Deiveson Figueiredo. Além disso, temos atletas em ascensão que podem subir algumas posições no ranking, como Amanda Ribas, Alexandre Pantoja e Ricardo Carcacinha”, diz Minotauro em entrevista.

Ele avalia que a experiência de Aldo atrelada à motivação de fazer história conquistando um cinturão de outra divisão pode colocar o brasileiro em vantagem na disputa do título do peso-galo contra Petr Yan, neste sábado. 

“Aldo um atleta extremamente experiente, uma lenda do MMA, um ídolo dos brasileiros. Acredito que ele venha muito motivado. Já o Yan é uma promessa que vem despontando na categoria dos galos e que não perde uma luta desde 2016. Eu aposto na experiência e no coração do Aldo, claro. Quem acompanhar a transmissão, vai poder apoiar o Aldo e todo o esquadrão Brasileiro nesse grande evento”, aponta.

Já Deiveson, foi escalado para enfrentar Joseph Benavidez pelo cinturão peso-mosca no próximo dia 18 de julho. A luta também vai acontecer em Abu Daabi. 

“Além dos cinturões, o Brasil também pode garantir atletas como próximos desafiantes de suas categorias, como é o caso da Jéssica Andrade. Isso sem contar as nossas estrelas já consagradas, que estão nos cards da Ilha, como Fabricio Werdum, Rogério Minotouro e Mauricio Shogun”, destaca Minotauro, que participa da transmissão do evento realizado, neste sábado, pelo canal Combate, a partir das 18h45.

 

Confira os cards do UFC 251

 

CARD PRINCIPAL

(23 horas de Brasília)
Peso-meio médio: Kamaru 
Usman x Jorge Masvidal
Peso-pena: Alexander 
Volkanovski x Max Holloway
Peso-galo: Petr Yan x José Aldo
Peso-palha: Jéssica Bate-Estaca x Rose Namajunas
Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant

CARD PRELIMINAR 
(19 horas de Brasília)
Peso-meio pesado: Volkan 
Oezdemir x Jiri Prochazka
Peso-meio médio: Elizeu 
Capoeira x Muslim Salikhov
Peso-pena: Makwan Amirkhani x Danny Henry
Peso-leve: Léo Santos x Roman Bogatov
Peso-pesado: Marcin Tybura x Maxim Grishin
Peso-mosca: Raulian Paiva x Zhalgas Zhumagulov
Peso-galo: Karol Rosa x Vanessa Melo
Peso-galo: Martin Day x Davey Grant

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte

Assuntos Relacionados