Tinga é o líder de assistências do Fortaleza na temporada; jogador é ainda uma opção de gols

Tricolor do Pici tem destaques individuais no início desta temporada, mas principal trunfo é o coletivo para repetir a boa campanha de 2019 na Série A do Campeonato Brasileiro. Confira as principais peças do Tricolor

Legenda: Tinga é um dos destaques do Leão na temporada
Foto: CAMILA LIMA

O foco do Fortaleza agora é totalmente na Série A do Campeonato Brasileiro. A caminhada do Tricolor do Pici começa exatamente em uma semana, já que no sábado (8) o time fará a estreia contra o Athletico/PR, a partir das 19 h, na Arena Castelão. E a aposta do técnico Rogério Ceni para que o início seja da melhor forma possível será em alguns trunfos individuais, que possuem números de destaque nesta temporada.

É bem verdade que a grande força do Fortaleza de Rogério Ceni está no coletivo. Foi assim no ano passado, quando o Leão do Pici levantou o troféu do Campeonato Cearense, foi campeão da Copa do Nordeste e ficou em 9º lugar no Brasileirão, realizando sua melhor campanha na história da competição e garantindo também o status de melhor nordestino na disputa.

Entretanto, um coletivo forte precisa da potencialização das individualidades, e foi esse um dos grandes méritos do técnico Rogério Ceni na última temporada.

Além de instalar um modelo de jogo eficiente e que deu resultados, o comandante leonino contou com destaques individuais, que já começam a aparecer também nesta temporada. Para o lateral-direito Tinga, o elenco atual é mais forte que o de 2019.

"Acho que nosso elenco é mais forte que ano passado, temos mais peças. A gente sabe da dificuldade que vai ser, mas a gente tem totais condições de fazer um campeonato ainda melhor. Cada jogo tem que ser uma final", disse o jogador. E os números comprovam isso.

No setor ofensivo, por exemplo, Wellington Paulista tem cumprido bem a missão de ser o homem-gol. Já balançou as redes adversárias seis vezes e é o principal goleador da equipe, além de ter contribuído ainda com duas assistências. Porém, por conta da idade, não terá condições de enfrentar a maratona de jogos atuando sempre como titular. É preciso alguém que possa substituí-lo na mesma função, e Edson Cariús tem provado que pode ser esse jogador.

Com quatro gols marcados, ele é o vice-artilheiro do Tricolor, empatado com outro jogador que também tem provado que é peça importante para o setor ofensivo do time: Yuri César.

O jovem atacante de 20 anos, além dos quatro gols, tem ainda uma assistência, provando que é uma boa alternativa para os titulares David e Osvaldo, ambos com três gols e um passe para gol neste ano.

Garçons em alta

Os gols só são possíveis pela qualidade de organização e criação de jogadas que o time apresenta. Muito disso por contar com atletas que auxiliam a articulação e municiam os jogadores no setor de frente. Um deles é o lateral-direito Tinga, líder de assistências do Fortaleza em 2020.

Ao todo, já foram cinco passes diretos para gols. Sem contar que já balançou as redes em duas oportunidades. Ele fica à frente de jogadores importantes, como o volante Juninho, homem das bolas paradas e titular absoluto, que soma duas assistências (além de dois gols) e do atacante Romarinho, o "coringa" do ataque, que atua em todas as funções e é peça importantíssima para Rogério Ceni, com quatro assistências e um gol marcado.

Outros jogadores que começaram a temporada longe da titularidade têm buscado mais espaço na equipe principal, como o meia argentino Mariano Vázquez (três passes para gols), que vinha ganhando espaço antes da paralisação devido à pandemia, e o atacante Ederson (dois gols e três assistências).

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte