Sindicato dos Médicos do Japão pede cancelamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio

A entidade enviou um documento ao Ministério da Saúde e pressiona as autoridades locais

Legenda: Os Jogos Olímpicos foram adiados em 2020 por conta dos casos do novo coronavírus
Foto: AFP

O governo japonês e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados em um ano por causa da Covid-19, têm mais um problema pela frente. Nesta quinta-feira (13), o Sindicato Nacional de Médicos do Japão apresentou petição para que o evento esportivo, marcado para iniciar em julho, seja cancelado.

De acordo com o documento, a Olimpíada, que terá a participação de 11 mil atletas de todo o planeta, é um risco para a possível chegada e a propagação de novas cepas da doença. O registro enviado ao Ministério da Saúde explica que a ausência de público não é suficiente para a não propagação da doença.

"Para os atletas será duro, mas alguém tem que pedir o cancelamento dos Jogos. Por isso, pedimos isso. O governo tem uma importante missão, que é proteger a vida dos cidadãos e deve mostrar uma postura clara com relação a isso".
Naoto Ueyama
Representante do Sindicato Nacional dos Médicos do Japão

Os especialistas japoneses estão chamando o atual momento da pandemia no país de 4ª onda. O número de novos casos está acima de 5 mil por dia, cinco vezes mais do que há dois meses. Boa parte do Japão está em estado de emergência até o próximo dia 31, enquanto a vacinação atingiu menos de 2% da população.

Os Jogos Olímpicos enfrentam grande resistência no Japão por conta do aumento do número de casos. Ainda assim, o Comitê Olímpico Internacional (COI) se disse otimista em reverter a opinião pública com o sucesso da Olimpíada. O evento está previsto para acontecer entre os dias 23 de julho e 8 de agosto. Poucos dias depois começará a Paralimpíada, de 24 de agosto a 5 de setembro.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte