Presidente do Fortaleza comenta saídas de Júnior Santos, Dodô e Marcinho: "Não entrou nem um real"

Júnior Santos teve 20% de seus direitos econômicos vendidos. Leão vai receber 10% das negociações de Dodô e Marcinho, que estavam na equipe por empréstimo

Legenda: Venda de Júnior Santos ao futebol japonês vai render, pelo menos, R$ 2 milhões aos cofres do Tricolor do Pici.
Foto: Foto: JL Rosa / SVM

Em entrevista coletiva realizada na última terça-feira (16), o presidente do FortalezaMarcelo Paz, comentou as saídas de Marcinho, Dodô e Júnior Santos e afirmou que o clube ainda não recebeu as compensações financeiras. O dirigente também revelou que o clube vai receber pelo menos R$ 2 milhões pela venda de 20% dos direitos federativos de Júnior Santos, além de 10% das negociações envolvendo Marcinho e Dodô, que estavam no Leão por empréstimo do Internacional/RS e Atlético/MG, respectivamente.

"Até agora, dos jogadores que saíram e teremos compensações financeiras ao Fortaleza, Júnior Santos, Marcinho e Dodô, não tem entrou nenhum real. Zero", declarou.

"Nós compramos o Júnior Santos por R$ 1 milhão, com 50% dos direitos econômicos dele. Nesse negociação, nós vamos receber, pelo menos, R$ 2 milhões. Vai depender da variação do dólar quando for feito o pagamento que será no dia 31 de julho. A venda dele foi 1 milhão e 200 mil dólares. Só que, quando chega o dinheiro, tem a comissão dos empresários que fizeram a negociação, tem o dinheiro do Ituano e do Osvaldo Cruz que têm direitos econômicos. Só aceitamos a negociação com o mínimo de R$ 2 milhões para o Fortaleza, ainda preservando 20% dos direitos econômicos do jogador. Compramos 50% por R$ 1 milhão e vendemos 25% por, pelo menos, R$ 2 milhões. Foi um ótimo negócio. Valorizamos 400% em cinco ou seis meses. Esse valor pode virar muito mais se ele for bem lá no Japão e houver uma outra venda", explicou Paz.

As saídas de Marcinho e Dodô também irão render dinheiro aos cofres do Tricolor, ainda que em um valor bem menor. "O Inter ainda não recebeu (o valor) porque a negociação do Marcinho ainda não foi concretizada. Temos 10% desse valor. Também vamos receber 10% do que o Atlético/MG vai receber pelo Dodô. É pouco porque ele foi reemprestado, mas vamos anunciar o valor na íntegra quando recebermos. O time que vai levá-lo está pagando por um empréstimo", confirmou.

Ainda comentando sobre Dodô, o mandatário tricolor contou que o meia pediu para deixar o clube cearense. "O Dodô conversou comigo e disse 'presidente, eu quero ir embora. É meu sonho jogar nos Emirados Árabes, nunca tive a oportunidade de jogar fora do país'. Como é que vou segurar o jogador? O Marcinho foi ganhar cinco vezes mais, o Júnior Santos não sei quantas vezes mais. Outros dois saíram em condições diferentes, não houve compensações financeiras, e já contávamos com essas saídas", finalizou.

Reforços

Com uma grande diferença financeira entre clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, Paz reclamou das saídas de jogadores que chegaram ao clube com contratos de empréstimos e afirmou querer mudar o patamar de contratações do elenco leonino.

"Estamos buscando mudar o patamar do perfil contratual do jogador do Fortaleza porque é muito ruim um jogador emprestado que vai embora no meio do caminho. Está aqui, vem, valoriza e, de repente, o cara vai embora. Hoje temos, no elenco do Fortaleza, grande parte de jogadores que são do clube. Os três goleiros, os quatro laterais, os dois zagueiros e volantes titulares, Romarinho, Éderson, Osvaldo, Mariano são do clube. Quem sabe, no ano que vem, a gente tenha 90% do elenco com jogadores todos do Fortaleza. E aí, tenhamos menos percas. Ou, se tivermos perdas, mas que sejam com compensações financeiras", finalizou.

O Fortaleza volta a campo no domingo (21), quando enfrenta o Atlético/MG no Independência, às 16 horas. A partida é válida pela 11ª rodada da Série A do Brasileiro.