Marcelo Paz sobre crescimento do Fortaleza em 'nova ordem' do futebol brasileiro: "autossuficiência"

O dirigente leonino destacou o momento vivido pelo clube e o papel da gestão na consolidação do trabalho

Legenda: O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, tem mandato até o fim de 2021 e ainda não anunciou se irá concorrer para reeleição
Foto: Rodrigo Gadelha / SVM

O ótimo desempenho do Fortaleza na atual temporada não ocorre por acaso. É reflexo de bom trabalho realizado dentro e fora de campo. Nesta sexta-feira (24), o presidente do Tricolor, Marcelo Paz, falou sobre o crescimento do clube e uma 'nova ordem' que está se estabelecendo no futebol brasileiro.

"A gente está vivendo uma nova ordem no futebol brasileiro. Não é à toa, por essa nova ordem, que você pega a tabela da Série A e vê Fortaleza, Ceará, Sport, Bahia, Bragantino, Juventude, Chapecoense, Cuiabá, América-MG, Atlético-GO. Será que é a Série B, ou a Série A, com todos esses times? É a Série A! E você vai olhar a Série B, tem cinco campeões brasileiros. Então é uma nova ordem e cabe a cada clube que subiu um pouquinho de patamar ter a consciência e a responsabilidade de que, para se manter neste nível, é preciso muito equilíbrio", destacou, em entrevista ao podcast "Hoje Sim", do ge.

O mandatário leonino destacou como o Fortaleza tem se estabelecido neste novo cenário.

"A conta chega, e chega rápido no futebol. Principalmente pra quem não tem um mecenas por trás, com muito dinheiro. O que é o caso do Fortaleza. No Fortaleza, é a gestão e a torcida. Não tem ninguém 'vamos contratar fulano que eu pago'. Não tem. É recurso próprio, é autossuficiência mesmo. Então a gente tem que saber até onde podemos chegar a cada ano, a cada orçamento. Se Deus nos abençoar com uma Libertadores, no ano que vem, a gente tem que pegar o orçamemnto e ver que pode montar um time um pouco mais caro, mas dentro da realidade", concluiu.

Marcelo falou ainda sobre como o crescimento tem percebido também por diversos players do mundo do futebol, o que tem tornado o clube mais atrativo.

"Os caras só vêm se souberem que vão receber em dia, que a estrutura é boa, que o ambiente é bom. No futebol, com duas ligações, você sabe de tudo. O jogador pode saber rápido se a barca é boa ou não, se cumpre ou não cumpre, se dirigente interfere no vestiário ou respeita o trabalho. Jogadores, empresários, todos têm como saber. Tem que levar em consideração história, abrangência nacional e títulos, mas o momento atual, o momento financeiro, estar disputando a maior competição do país, a Série A, te trazem um lastro. Essa mudança de hierarquia, eu posso definir como uma nova ordem. Estamos vivendo uma nova ordem no futebol brasileiro".

LIGA

O dirigente tricolor também falou sobre a criação da Liga de Clubes, que estava em andamento, mas não tem avançado.

"A liga já esteve mais próxima, as intercorrências causaram o esfriamento da situação, diminuíram as funções. Acredito que pode sair, tem muita gente querendo, estatuto estava rodando, mas deu uma esfriada", concluiu.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte