Investigação aponta velocidade excessiva como causa de acidente de Tiger Woods

O carro do atleta atingiu velocidades de 135 a 140 quilômetros por hora quando ele perdeu o controle

Carro após acidente
Legenda: O carro de Tiger Woods bateu em um canteiro central, atravessou duas pistas na direção contrária, capotou várias vezes e acabou de lado em uma ribanceira
Foto: Reuters / Gene Blevin

A principal causa do acidente de carro envolvendo o jogador de golfe Tiger Woods, em fevereiro, foi velocidade excessiva, informou o Departamento do Xerife de Los Angeles, nesta quarta-feira (7).

O carro de Woods atingiu velocidades de 135 a 140 quilômetros por hora quando o golfista perdeu o controle, ao passar por um trecho perigoso da estrada na comunidade de Rolling Hills Estates, em Los Angeles. O limite de velocidade na via é de 70 quilômetros por hora.  

Ao bater em uma árvore, o veículo estava a 120 quilômetros por hora. As informações são do capitão James Powers, do Departamento do Xerife de Los Angeles, repassadas em entrevista coletiva.

A chamada "caixa preta" do carro mostrou que Woods nunca pisou no freio durante o incidente, em vez disso, apertou o acelerador, indicando que ele pode ter confundido os pedais e pisado no acelerador em vez do freio ao tentar controlar o carro, disse James.

Exames feitos após o acidente apontaram que o norte-americano, de 45 anos, não estava sob efeito de bebida alcoólica e de nenhuma droga no momento da batida. 

O golfista teve fraturas expostas em duas partes da perna direita, além de lesões nos ossos do pé, e passou por cirurgia reparativa. 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte