Elas no Esporte: confira podcast com Elaine Gomes, cearense na Seleção Brasileira de Handebol

Atleta concedeu entrevista exclusiva ao programa Elas no Esporte e detalhou o retorno para a modalidade

Cearense, Elaine Gomes participou de conquistas importantes pela Seleção Brasileira de Handebol
Legenda: Cearense, Elaine Gomes participou de conquistas importantes pela Seleção Brasileira de Handebol
Foto: Alex Costa

“Depois da tempestade vem a bonança”. A passagem bíblica resume a situação que se encontra a atleta cearense Elaine Gomes. A pivô que fez parte da maior conquista da história do handebol brasileiro, o título mundial em 2013 na Sérvia, perdeu o chão após saber que estaria cerca de 16 meses fora das quadras por suspensão devido ao doping.

A tempestade passou, e receber uma ligação do supervisor da Seleção Brasileira foi a melhor notícia: a bonança. “Quando recebi a ligação foi a noite, do supervisor, eu estava esperando essa ligação desde dezembro de 2019 e está hoje com a Seleção, na disputa olímpica, fico feliz, principalmente depois de tudo que passei”, explica Elaine.

Elaine passou uma semana treinando em Portugal, em um local organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB). Foram dias de atividades intensas, e a preocupação da pivô era não conseguir se adequar ao ritmo. “Estou quebrada até agora, essa semana foi incrível, as meninas estão no nível muito elevado, elas jogam Champions, Copa da Europa, mas eu vou conseguir”, concluiu.

A Seleção Brasileira está classificada para os Jogos Olímpicos de Tóquio após a conquista da medalha de ouro no Pan-Americano de Lima, em 2019. A competição está prevista para iniciar em 25 de julho, após a cerimônia de abertura, com as primeiras partidas do torneio masculino. As mulheres estreiam no dia 26.

Processo judicial

A cearense e as 14 atletas prejudicadas entraram na justiça contra o clube da Romênia, Corona Brasov, por ter obrigado o elenco a fazer o tratamento de aplicação de laser no sangue, o que é considerado doping. “Espero que a justiça seja feita. Fiquei um ano e meio sem receber dinheiro, estou no aguardo, o dinheiro não vai trazer de volta todo o sofrimento, mas será bem vindo”, finalizou.

No Brasil, esse tipo de tratamento para a recuperação física dos atletas é desconhecido. Em conversa, com o médico do Ceará, Gustavo Pires, o profissional explicou que não tinha conhecimento desse procedimento. “A gente sabe que o laser é utilizado para o tratamento de algumas doenças vasculares, mas em estudo. Nos meus 20 anos de medicina, nunca vi um tratamento a laser para a recuperação dos atletas”, detalhou.

Confira trechos da entrevista com Elaine Gomes

Como está o processo sobre o caso de doping envolvendo o clube Romeno?

"A pena já acabou para todas as meninas, processamos o clube. Os dirigentes não falam nada, ninguém pagou um salário. Eu estou com um advogado que é o mesmo de algumas das meninas. Espero que a gente receba muito dinheiro, claro que isso não paga o sofrimento que causou, mas vai ser muito útil".

Durante o período de suspensão você ficou treinando?

"Voltei pra casa em Fortaleza e tive a oportunidade de treinar. Em casa também fazia treinamento, não é o mesmo de quando você está em um clube na Europa. Eu só pude fechar contrato depois que a suspensão acabou. Consegui contrato com o Granollers, da Espanha, me receberam com tapete vermelho".

3) Você ainda tem alguma mágoa por tudo que aconteceu?

"Eu rezo muito, agradeço a Deus por tudo. Só quero que a situação se resolva. Não era de responsabilidade nossa fazer esse tratamento, eu ainda tentei resistir".

4) Enquanto você não retoma os treinamentos em Portugal com a Seleção Brasileira, como estão as competições na Espanha?

"Em relação a pandemia, está bem controlado aqui (na Espanha), vai começar a ter público nos jogos. Está tudo bem equilibrado, nós estamos jogando a Liga Espanhola e a Copa da Rainha".

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte