Copa América não será mais realizada na Colômbia; Argentina deve ser sede única

O torneio está previsto para ocorrer entre 13 de junho e 10 de julho

Taça da Copa América na frente das bandeiras das seleções da América do Sul
Legenda: A Copa América é o torneio de seleções mais antigo do mundo
Foto: AFP

A Copa América não será mais realizada na Colômbia. Nesta quinta-feira (20), a Conmebol confirmou a saída do país, que atravessa uma grave tensão social, com protestos desde o fim de abril. A Argentina deve ser sede única da competição.

Vale ressaltar que o governo colombiano solicitou o adiamento do torneio alegando a fim de permitir presença de torcedores aos estádios. O pedido foi negado pela entidade que comanda o futebol sul-americano.

"Por razões relacionadas ao calendário internacional de competições e à logística do torneio, fica impossível transferir a Copa América 2021 para o mês de novembro", afirma a nota da Conmebol.

No comunicado, a Conmebol assegurou a realização do torneio na data original, entre 13 de junho e 10 de julho, e disse que ainda vai definir nos próximos dias a nova tabela, com a realocação das partidas previstas para a Colômbia.

Novo formato

A edição da Copa América de 2021 iria estrear novo formato, com duas sedes. O torneio teria dois convidados, Catar e Austrália, mas os países desistiram da disputa em virtude do calendário e das restrições sanitárias.

A Seleção Brasileira jogaria a primeira fase na Colômbia, nas cidades de Medellín, Cali, Barranquilla e Bogotá. No Grupo B, além do Brasil e do time da casa, estão Equador, Peru e Venezuela. O Grupo A é composto pela anfitriã Argentina, Uruguai, Chile, Bolívia e Paraguai.