Ceni nega poder de decisão sobre contratações no Fortaleza: "Não precisa da minha aprovação"

O Fortaleza encara o Atlético fora de casa com um elenco reduzido, principalmente no ataque

Legenda: Com 13 pontos, o Leão do Pici ocupa a 13ª posição na tabela
Foto: Foto: JL Rosa

O treinador Rogério Ceni surpreendeu a imprensa cearense ao conceder entrevista coletiva (normalmente o faz somente nos dias de jogos) nesta quinta-feira (18).  E foi de encontro à fala do presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, sobre o trâmite de contratações e possíveis reforços do Fortaleza para o Brasileirão. Apesar de ter feito pedidos, o técnico entende que a palavra final é da diretoria sobre quem chega ou não ao elenco tricolor. "Quem contrata, quem decide a contratação é sempre o Fortaleza. Se alguma contratação quiser ser feita, sem problema nenhum. Não necessita da minha aprovação". 

Ceni falou sobre as necessidades do clube, que, segundo ele, não é de um grande número de atletas. "Acho que não tem que contratar sete ou oito jogadores, pelo contrário. O que nós pedimos são dois jogadores de frente e um atrás com boa qualidade técnica, que possam fazer com que esse time cresça, que tenham nível de Série A, ou então jogadores que tenham um nível menor e que também entreguem um resultado menor no fim do campeonato", comentou Rogério.

> Ceni diz que ataque é o setor mais importante para reforçar no Leão

Paz havia anunciado em coletiva que a folha salarial do clube já está no limite, não podendo arriscar sua saúde financeira em vários reforços. Além disso, segundo o dirigente, nenhum real chegou das vendas realizadas nas últimas semanas. Nesta quinta-feira (18), Ceni alegou que contratações foram aprovadas de sua parte mas não foram concretizadas na fase final. "Acho que eu estou sendo bem econômico e trabalhando com um grupo bem reduzido que eu acho que será suficiente", disse o treinador.

Sem fator surpresa

Com um setor ofensivo muito desfalcado, o comandante do Leão reclamou da falta de alternativas para as pontas de seu 4-4-2. Contra o Galo, ele não espera surpreender fora de casa por conta dos limites no elenco.

"Osvaldo lesionado, Marcinho foi embora, Júnior Santos embora, Matheus Alessandro também saiu e hoje a gente tem o Romário e mais alguma improvisação que a gente possa fazer no setor. Vamos com bastante intensidade como de costume, dentro da limitação que nós temos em algumas posições, tentando tirar o máximo dos jogadores, mas sem que eles se lesionem. Surpresa, no momento, não podemos fazer para ninguém", admitiu o técnico.

O Tricolor de Aço enfrenta o Atlético Mineiro neste domingo (21), às 16h, no Independência.