Idosa que passou por duas pandemias é vacinada contra Covid-19 no Piauí

Com 115 anos, Maria Araújo da Silva vivenciou a pandemia de gripe espanhola e a do novo coronavírus

idosa vacinada/idosa vacina piauí/idosa vacinada no piauí/idosa vacina covid
Legenda: Atualmente, Maria é cega e não consegue andar em razão da idade avançada, mas não tem nenhuma comorbidade.
Foto: reprodução/TV Clube

A idosa Maria Araújo da Silva, de 115 anos, foi vacinada contra Covid-19 na manhã desta quarta-feira (10) em Teresina, no Piauí. A pandemia do novo coronavírus é a segunda pela qual passa — a mulher já era nascida quando a gripe espanhola ocorreu. Ela foi vacinada em drive-thru promovido para idosos com mais de 90 anos na capital, o qual foi encerrado nesta quarta-feira (10). As informações são do portal G1.

Maria Araújo nasceu em Agricolândia, no mesmo estado, em 1906, 12 anos antes da pandemia causada pelo vírus H1N1, que deixou mais de 50 milhões de vítimas entre 1918 e 1920. De acordo com Deuzeline Araújo, de 66 anos, neta da idosa vacinada, a avó ainda era criança e não recorda mais os tempos da pandemia ocorrida no século XX. "Ela era mocinha, do interior, e lá não tinha essas coisas. Talvez tenha pegado uma gripe, mas passou", brincou.

Atualmente, Maria é cega e não consegue andar em razão da idade avançada, mas não tem nenhuma comorbidade. Ela tem 21 netos, 47 bisnetos, 24 trinetos e dois tetranetos.

Cleide Araújo, de 50 anos, irmã de Deuzeline e neta de dona Maria, atribui a longevidade da mulher à boa alimentação. "Acho que ela comeu muita comida saudável, muita coisa orgânica durante a vida. Não essa alimentação industrializada que temos hoje. Então, o segredo dela é esse: ela gostava muito de feijão", ressaltou.

idosa vacinada/idosa vacina covid/
Legenda: Maria tem, atualmente, 21 netos, 47 bisnetos, 24 trinetos e dois tetranetos.
Foto: arquivo pessoal

Com a aplicação da vacina em dona Maria, as duas netas, que revezam entre si os cuidados da idosa, sentiram-se aliviadas e felizes. "Eu sei que também tenho idade avançada, mas a minha prioridade é vacinar a vovó", afirmou Deuzeline, cuja família já foi infectada pelo novo coronavírus. A neta Cleide testou positivo para a doença e teve de passar 32 dias afastadas da avó e da mãe, Margarida, de 86 anos, filha de Maria.

"Eu me afastei. A gente não quer perder ninguém, essa doença é muito triste, perder quem a gente ama. A vovó já passou por tanta coisa... Graças a Deus ela já está vacinada", comentou.