Latam suspende transporte de pets por 30 dias após segunda morte de cachorro em um mês

Clientes que já adquiriram o serviço poderão seguir com o transporte ou optar pelo reembolso

Cão da raça American Bully
Legenda: O cão Weiser foi entregue morto ao tutor, após viagem de Guarulhos a Sergipe, na tarde desta quinta-feira (14)
Foto: Reprodução Instagram

A companhia Latam Airlines Brasil suspendeu por 30 dias a venda de vaga para transporte de pets no porão de suas aeronaves. A medida vem após novo incidente envolvendo a morte de um cão da raça American Bully, que foi transportado de Guarulhos (SP) a Aracaju (SE), nessa quinta-feira (14). É o segundo caso do tipo em um mês.

A medida só vale para o mercado brasileiro e, segundo a empresa, o cliente que já adquiriu o serviço poderá seguir com o transporte de forma regular, postergar sem custo ou optar pelo reembolso.

Segundo a nutricionista Giulia Conte, que expôs o caso nas redes sociais, o cão de nome Weiser pertencia ao irmão dela e foi entregue a ele já morto. Segundo a jovem, a viagem estava marcada para as 12h30, mas o cachorro precisou ser entregue à companhia na caixa de transporte já às 8 horas.

"Hoje [quinta-feira] é aniversário do meu irmão, e o Weiser chegou lá morto por causa dessa companhia", disse Giulia aos prantos.

Mudança no procedimento

Ainda conforme o relato, seu irmão teria comprado a passagem para ir com Weiser na cabine, da mesma maneira que ocorreu no trecho de ida. No entanto, somente no embarque da volta a família descobriu que ele precisaria ser despachado, o que só aconteceu dias depois.

"Meu irmão teve que voltar para trabalhar, e o Weiser ficou. Ele tentou argumentar com a Latam já que ele veio numa condição e na hora de voltar mudou completamente. Se ele tivesse que vir nessa condição meu irmão jamais permitiria", explicou Giulia.

Por nota, a Latam disse estar consternada com o ocorrido, afirma estar à disposição dos tutores, e disse que Weiser roeu a caixa de transporte em que estava e se asfixiou. 

"Em laudo emitido pela clínica veterinária que atendeu o Weiser, foi observado que ele roeu o kennel de madeira em que estava e se asfixiou. O Kennel estava em concordância com o processo de transporte de animais e de grande porte da Latam". 

Ainda conforme a nota, uma análise profunda de todos os procedimentos deste tipo de transporte já vinham sendo realizados pela companhia, "e neste lamentável evento cumpriu todos os processos de forma correta".

Novo caso em um mês

Este é o 2º caso de morte de pet envolvendo a Latam em um mês. No último dia 14 de setembro, um filhote da raça Golden Retriever morreu após viajar de São Paulo para o Rio de Janeiro. 

O filhote foi entregue à tutora quase morto, e não resistiu. Ela acusou a empresa de maus-tratos. 

Confira a nota da Latam na íntegra

A LATAM Airlines Brasil está consternada com o ocorrido ao cão da raça American Bully, o Weiser, transportado na tarde de hoje, 14 de outubro de 2021, entre o aeroporto de Guarulhos - São Paulo para o aeroporto de Aracaju - Sergipe e que chegou ao destino em óbito. 

Em laudo emitido pela clínica veterinária que atendeu o Weiser, foi observado que ele roeu o kennel de madeira em que estava e se asfixiou. O Kennel estava em concordância com o processo de transporte de animais e de grande porte da LATAM.

A LATAM já vinha fazendo uma análise profunda de todos os procedimentos deste tipo de transporte, e neste lamentável evento cumpriu todos os processos de forma correta. Diante deste cenário, a empresa decidiu neste momento suspender a venda para o transporte de PETS no porão das aeronaves nos 30 próximos dias para o mercado brasileiro. O cliente que já adquiriu o serviço em questão poderá seguir com o transporte de forma regular, postergar sem custo ou então optar pelo reembolso em nossos canais de atendimento.

A Latam está acompanhando o caso e segue à disposição para prestar toda a assistência aos tutores do cão.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil