Corpo de jovem que pode ter sido envenenada por madrasta é exumado para analisar uso de 'chumbinho'

A madrasta teria tentado matar o irmão da vítima com o mesmo veneno; caso é investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro

Legenda: A irmã do jovem morreu anteriormente com os mesmos sintomas apresentados por envenenamento
Foto: Reprodução

O corpo de Fernanda Cabral, de 22 anos, supostamente vítima de envenenamento pela madrasta, foi exumado, nesta quinta-feira (26), pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. O objetivo é reavaliar a causa do óbito, confirmando ou não o homicídio. As informações são Metrópoles

Em entrevista ao portal, o delegado do caso, Flávio Rodrigues, disse que os sintomas apresentados pela jovem são semelhantes aos relatados pelo irmão, de 16 anos, que também teria sido envenenado, mas sobreviveu.

Dentre eles, tonteira, reação agônica e taquicardia. O delegado acredita ter que o veneno utilizado tenha sido ‘chumbinho’. 

“O exame deve ficar pronto dentro de 20 dias. Uma das análises a serem feitas é sobre a fauna cadavérica, para examinar os insetos que estão se alimentando do corpo”, informou ao Metrópoles

Os irmãos teriam ingerido um feijão envenenado com a substância. A madrasta, Cíntia Mariano Dias Cabral, foi presa no último dia 20. 

A polícia apreendeu um frasco de veneno para pulgas na casa dele, além de um recipiente com feijão.

Ciúmes dos filhos do marido
 

Investigações apontam que os crimes teriam sido praticados pela madrasta por ciúmes dos filhos do marido, que moravam com o casal.

"Ainda restam algumas diligências, como a exumação do corpo da Fernanda, para podermos concluir que ela foi a responsável pelo envenenamento dos dois jovens, em circunstâncias semelhantes" afirmou o delegado Flávio Rodrigues, responsável sobre o caso.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil