Caseiro suspeito de matar esposa grávida, enteada e fazendeiro se entrega após 6 dias de fuga em GO

Na manhã deste sábado, ele invadiu uma propriedade rural e apontou uma arma de fogo para uma fazendeira, que o convenceu a se apresentar à polícia

Caseiro suspeito de matar esposa grávida, enteada e fazendeiro se entrega após 6 dias de fuga em Goiás
Legenda: De acordo com o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, o caseiro confessou os crimes ao se entregar a policiais militares em Gameleira de Goiás
Foto: Reprodução

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, apontado como suspeito de matar a esposa grávida, a enteada e um fazendeiro, em Goiás, se entregou à polícia na manhã deste sábado (4). O crime aconteceu em 28 de novembro e, desde então, ele estava foragido. As informações são do G1 e do Metrópoles.

Na manhã deste sábado, ele invadiu uma propriedade rural e apontou uma arma de fogo para a fazendeira Cinda Mara. Ela contou que, depois de conversar com Wanderson Protácio, o convenceu a se apresentar às autoridades policiais.

"Eu estava dormindo, a janela estava meio aberta na minha fazenda. Aí ele chegou com o revólver, apontou a arma e eu pedi calma, falei pra ele ficar tranquilo que eu iria ajudá-lo", explicou, em entrevista exclusiva à TV Anhanguera.

Confissão e apreensões

De acordo com o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, o caseiro confessou os crimes ao se entregar a policiais militares em Gameleira de Goiás.

Foram apreendidos com ele um revólver calibre .38 furtado do patrão, em Corumbá de Goiás, um aparelho celular e munições de diferentes calibres.

Caseiro suspeito de matar a mulher grávida, enteada e fazendeiro se entrega após seis dias de fuga em Goiás
Legenda: Policiais militares o levaram para a Delegacia Regional de Anápolis
Foto: Reprodução/TV Anhanguera

"Ele está falando, não está negando. Mesma frieza do vídeo em que debocha da facada (dada em mulher no ano de 2019)", relata.

Autuações

O titular da pasta disse que o suspeito responderá por feminicídio, aborto (pois a esposa dele estava grávida de quatro meses), latrocínio (roubo seguido de morte) e roubo de arma de fogo.

"Dona Cinda não sofreu nenhum tipo de violência. O homem foi ao local com a intenção de se entregar, já que estava com fome, cansado", afirmou o secretário.

Wanderson Protácio passará por exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML) e deve ficar isolado de outros detentos, a princípio na carceragem em Aparecida de Goiânia. A prisão do caseiro deverá ser convertida em preventiva em uma audiência de custódia.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados