Bruno Covas é transferido para UTI após sangramento no estômago

Prefeito foi internado na tarde desse domingo (2)

Bruno Covas em coletiva de imprensa
Legenda: Bruno Covas foi diagnosticado com um novo nódulo no fígado em fevereiro.
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi transferido, nesta segunda-feira (3) para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, após uma endoscopia sinalizar um sangramento no estômago. As informações são do portal G1.

A transferência foi decidida após o exame indicar que a hemorragia era causada por uma úlcera em cima do tumor original, na passagem do esôfago para o estômago. O sangramento foi controlado pelo médico David Uip, que compõe o corpo clínico que cuida do prefeito.

Covas foi internado na tarde desse domingo (2) para cuidar de efeitos adversos do tratamento contra câncer. Ele anunciou afastamento do cargo por 30 dias devido ao tratamento, que conta com sessões de imunoterapia e quimioterapia.

Sintomas de Covas

David Uip afirmou, em entrevista à rádio CBN na manhã desta segunda, que o político teve náuseas e vômitos no fim de semana, e a equipe médica preferiu adiantar a internação de modo preventivo para antecipar exames e avaliar a possibilidade de um "segundo ciclo de químio e imunoterapia". O prefeito passará pelos exames ainda nesta segunda.

"Nós não decidimos se ele iniciará agora ou não a segunda sessão de quimioterapia e imunoterapia. Nós estamos nesse momento fazendo uma série de exames para ver como ele está. E se é possível, nesse momento, continuar ou não o tratamento proposto. Hoje ele começaria a segunda sessão, mas nós estamos nesse segundo fazendo exames com o prefeito", pontuou o médico.

O câncer de Bruno Covas, segundo o médico, teve uma evolução: a região dos ossos da bacia e da coluna apresentou novos focos do tumor, que também teve aumento no fígado.

"Como é um tratamento muito poderoso, você sempre trata com a efetividade do tratamento versus o efeito colateral. Então, nós estamos muito atentos e preferimos que ele viesse para o hospital ontem mesmo por conta disso. De um lado para avaliar a efetividade do tratamento, de outro, para avaliar os efeitos colaterais do tratamento", explicou.

Câncer

Bruno Covas foi diagnosticado com um novo nódulo no fígado em fevereiro. A equipe médica do prefeito disse que o câncer no sistema digestivo que ele trata desde 2019 conseguiu "ganhar terreno", embora o novo nódulo fosse menor que o encontrado há quase dois anos, conforme exames. Em razão disso, ele voltou a quimioterapia ainda na ocasião.

Em abril, o gestor da cidade paulistana passou quase duas semanas internado. Boletim médico indicou acúmulo de líquido entre os pulmões e a pleura, na região do abdômen.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil