Azul aumenta número de voos cancelados após alta de casos de Covid e Influenza na tripulação

A companhia declarou que os clientes afetados estão sendo acomodados em outros voos

avião da companhia aérea azul
Legenda: Avião saiu de Porto Alegre com destino Recife
Foto: divulgação

As infecções por Covid-19 e gripe nas tripulações da companhia Azul Linhas Aéreas provocou o aumento na  quantidade de voos cancelados ou reprogramados. Entre quinta (6) e sexta-feira (7), o percentual dobrou, atingindo 10% do total, cerca de 90 voos diários. As informações são do jornal Folha de S. Paulo

A empresa informou, em nota, que "por razões operacionais", alguns voos estão sendo reprogramados neste mês de janeiro. 

"A companhia registrou um aumento no número de dispensas médicas entre seus tripulantes — casos esses que, em sua totalidade, apresentaram um quadro com sintomas leves — e tem acompanhado o crescimento do número de casos de gripe e Covid-19 no Brasil e no mundo", revelou em comunicado. 

A companhia declarou que os clientes afetados estão sendo acomodados em outros voos e recebendo toda a assistência, "conforme prevê a resolução 400" da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Casos em outras empresas aéreas

A Gol também registrou um aumento do número de funcionários com diagnóstico para Covid-19, mas nenhum voo chegou a ser afetado, segundo a aérea.

"Os funcionários que apresentam resultado positivo estão sendo afastados das funções para se recuperarem em casa com segurança", diz a companhia, ressaltando que "100% dos colaboradores estão vacinados".

Já a Latam declarou que "por enquanto, ainda não foi necessário alterar seus voos diante do aumento no número de casos de Covid e de influenza na população brasileira", mas que "segue atenta a este cenário, que está mudando rapidamente em virtude da variante Ômicron".

Maior demanda da Azul

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) disse à Folha que não tem estatísticas de quantos profissionais do setor estão afastados por Covid-19. "Mas a partir dos relatos que recebemos, o problema está concentrado na Azul até o momento, porque foi a companhia aérea que está voando mais agora do que voava antes da pandemia", disse o presidente da entidade, Ondino Dutra.

Dados da Anac indicam um aumento significativo na demanda da Azul em relação as demais aéreas. No intervalo entre dezembro de 2020 e novembro de 2021, a participação da empresa atingiu 33,6% em receita por passageiro por quilômetro (RPK, na sigla em inglês), uma alta de 6,8 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior (26,8%), o que levou a Azul à liderança do setor, conforme a agência regulatória.

Enquanto isso, a participação da Latam caiu de 34,8% para 33,2% e, a da Gol, de 38% para 32,2%, no mesmo intervalo de tempo. As duas empresas ainda não estão operando com 100% da capacidade, mas a Azul sim.

Segundo o SNA, a Azul vem contratando comissários de bordo. Questionada, a companhia declarou que está "com posições abertas".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil