Kevin Spacey deve indenizar produtora de 'House of Cards' em quase R$ 162 milhões

A decisão foi tomada por um juiz de Los Angeles nesta quinta-feira (4)

Kevin Spacey em estreia de série
Legenda: O ator Kevin Spacey na estreia da 4ª temporada do programa da Netflix "House of Cards" em Washington, DC, em 2016
Foto: AFP/Nicholas Kamm

Após decisão judicial, o ator estadunidense Kevin Spacey, 63 anos, deve pagar cerca de US$ 31 milhões, valor equivalente a quase R$ 162 milhões, para a produtora da série House of Cards. A determinação foi dada pelo juiz Mel Red Recana, do tribunal superior de Los Angeles, nesta quinta-feira (4).

Spacey foi protagonista de cinco temporadas da série e somava duas estatuetas do Oscar em seu currículo. No entanto, em 2017, denúncias de assédio sexual contra colegas de trabalho vieram a público e ele foi, posteriormente, demitido.

A produtora MRC, responsável pelo sucesso do streaming, entrou em uma batalha judicial com o ator, considerando que foi preciso repensar a série devido à saída do protagonista Frank Underwood.

Batalha na justiça

Em outubro de 2020, um juiz de arbitragem determinou que Kevin pagasse US$ 29,5 milhões, assim como os custos que a produtora teve em repensar House of Cards. No entanto, o ator solicitou a anulação da indenização milionária. 

Segundo ele, o juiz havia cometido falhas processuais ao avaliar os danos. Porém, nesta quinta, Mel Red Recana ratificou a decisão, ordenando ao ator pagar a indenização.

Spacey segue negando todas as acusações, que impactaram diretamente na premiada carreira dele.

'Não tinha conhecimento desse tipo de conduta'

No documento judicial, a produtora alegou não estar ciente desse tipo de comportamento. "A MRC não tinha conhecimento desse tipo de conduta por parte de Spacey com membros do elenco ou da equipe de trabalho do programa", disse.

A produtora alega que, após as denúncias de assédio e agressão sexual em 2017, suspendeu o ator e ordenou uma investigação, que determinou que "Spacey rompeu com disposições nos acordos de atuação e produção executiva que fixam os padrões de conduta no local de trabalho, incluindo descumprir a política de assédio".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo