EUA declara emergência de saúde por varíola dos macacos

As agências governamentais irão receber dinheiro de fundos de emergência

Vacina aplicada em pessoa
Legenda: Nos Estados Unidos, os trabalhadores da área da saúde tem permissão para aplicar vacinas contra a varíola
Foto: Shutterstock

Os Estados Unidos declararam, nesta quinta-feira (4), que o surto da varíola dos macacos é considerado "emergência de saúde pública". Nesse cenário, o secretário de Saúde e Serviços Humanos, Xavier Becerra, afirmou estar preparado para enfrentar o vírus. As informações são do g1.

Desde o dia 23 de julho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já havia declarado emergência global devido à varíola do macaco. Na época, mais de 70 países tinham confirmado infecções pelo vírus. 

"Estamos preparados para elevar a resposta a este vírus a outro patamar e instamos a todos os americanos a levar a sério a varíola do macaco e assumir a responsabilidade de nos ajudar a enfrentar este vírus", detalhou Xavier.

Para o combate ao vírus, as agências governamentais irão receber dinheiro de fundos de emergência.

Conforme o jornal The New York Times, a medida busca contratar mais profissionais e agilizar a vacinação, assim como os tratamentos dos positivados para a varíola. 

Estratégias de combate ao vírus

O governo dos Estados Unidos, que registrou 5,8 mil casos na última segunda-feira (1º), busca ampliar a quantidade de testes e vacinas contra o vírus.

Pelo menos 1,6 milhão de pessoas foram identificadas no país como altamente vulneráveis ao vírus. No entanto, possuem apenas 550 mil doses do imunizante. 

Os estados de Illinois, Califórnia e Nova York contabilizam quase metade dos casos positivados da doença em solo estadunidense e já declararam emergência para o surto da varíola dos macacos. 

Devido à mudança de "status" da doença, os trabalhadores da área da saúde ganham permissão para aplicar vacinas contra a varíola na população. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo