Produzida no Brasil, vacina em spray nasal contra Covid-19 deve ser testada neste ano em humanos

Segundo pesquisador, o modelo tem facilidade de adaptação a diferentes variantes e pode ser armazenado em temperatura ambiente

Vacina em spray contra Covid-19
Legenda: A Universidade de São Paulo (USP) está desenvolvendo uma vacina por spray nasal contra a Covid-19.
Foto: USP / Fotomontagem sobre imagem de flockine via Pixabay

Após testagem em animais, a vacina brasileira em spray nasal contra a Covid-19, desenvolvida pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), deve passar para a fase de experimentação em humanos ainda este ano. 

A previsão é de Jorge Kalil Filho, diretor do Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, professor titular de Imunologia Clínica e Alergia da FMUSP e coordenador da pesquisa. 

“Nós estamos construindo, geneticamente, a composição final dessa vacina”, disse, em entrevista à Rádio USP, acrescentando que a meta é que os testes em humanos comecem este ano.

De acordo com ele, o imunizante poderá ser fabricado 100% no Brasil.

Os testes neste modelo de spray nasal buscam estudar melhor a resposta imune contra o novo coronavírus. “Tem duas formas de nós combatermos o vírus: não deixando ele entrar em uma célula ou, se ele entrou na célula e a infectou, ele pode ser morto por uma outra célula do sistema imune”, explicou.

Para o estudo, coletou-se sangue de pessoas contaminadas com o vírus para analisar os alvos das respostas de anticorpos e celular. Para o pesquisador, essa investigação mais profunda do antígeno é o que diferencia a nova vacina das demais, que utilizam seringas.

A opção da aplicação pela via nasal se justifica pela "forte resposta local" e por gerar defesas na mucosa da região. Dentre outras vantagens citadas por Kalil, está a facilidade de adaptação a diferentes variantes e pode ser armazenada em temperatura ambiente. 

Remédio em spray 

Um remédio contra a Covid-19 no mesmo formato é testado em Israel. O spray nasal chamado EXO-CD24 deve ser administrado diariamente, uma vez por dia, durante cinco dias. O remédio está em sua primeira fase clínica e já foi testado pela primeira vez em seres humanos.

De 30 pacientes nos quais o remédio foi ministrado, 29 mostraram uma melhora acentuada em dois dias, tendo recebido alta do hospital de três a quatro dias depois. Um paciente também se recuperou, mas precisou de mais alguns dias de internamento, de acordo com a unidade.

O spray, originalmente desenvolvido para combater câncer de ovário, deverá ser testado no Brasil contra Covid-19, segundo anúncio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A droga, no entanto, ainda não possui eficácia comprovada para o combate ao coronavírus.