PRFs mortos em Fortaleza são homenageados em missa de sétimo dia

Celebração aconteceu durante a noite desta terça-feira (24)

Escrito por Redação,

Segurança
imagem de igreja lotada durante missa
Legenda: Celebração ocorreu em igreja no bairro Vila Pery, em Fortaleza
Foto: Letícia Lima

A missa de sétimo dia dos policiais rodoviários federais mortos na BR-116, em Fortaleza, aconteceu durante a noite desta terça-feira (24). A celebração para rezar pelos mortos foi realizada na Igreja de São José, no bairro Vila Pery, e familiares realizaram homenagens aos agentes. 

Com a igreja lotada, o padre rezou pelos PRFs Márcio Hélio Almeida de Souza, 52 anos, e Raimundo Bonifácio do Nascimento Filho, 43.

O sepultamento dos dois aconteceu na última quinta-feira (19). O velório tinha iniciado na noite de quarta-feira (18), na Superintendência da PRF no Ceará, e seguiu até a manhã. 

PRF enterrado
Legenda: Um dos PRFs mortos na BR-116 foi enterrado no cemitério da Parangaba, em Fortaleza
Foto: Fabiane de Paula/SVM

Como os policiais foram mortos?

Os PRFs realizavam controle de tráfego na região quando foram surpreendidos pela atuação do homem, identificado como Antônio Wagner Quirino da Silva. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ele tinha 31 anos e não possuía antecedentes criminais.

Vídeos feitos por motoristas que trafegavam na BR-116 mostram o momento em que os dois policiais rodoviários federais aparecem em luta corporal com o homem. O criminoso conseguiu pegar a arma dos agentes e, nas filmagens, é possível ouvir os disparos efetuados contra as vítimas.

Após efetuar os tiros contra os PRFs, o homem sai em caminhada com uma arma na mão. Ele é baleado logo depois por um policial de folga que passava pelo local e morreu. A Polícia Federal segue investigando o caso. (Assista no vídeo abaixo)

Homem identificado 

O homem que matou os dois policias foi identificado pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). Wagner foi visto perambulando pela rodovia BR-116 antes do crime.

A identificação foi feita por meio de exame de necropapiloscopia, técnica utilizada pela Coordenadoria de Identificação Humana e Perícias Biométricas (CIHPB) da Pefoce.