Depois do susto, o massacre

Confira a coluna desta quarta-feira (23) do comentarista Wilton Bezerra

Atletas do Fortaleza comemoram gol contra Atlético-BA
Legenda: O Fortaleza levou um gol no início, mas virou o placar e aplicou uma goleada no Atlético-BA
Foto: Thiago Gadelha / SVM

O Imponderável Futebol Clube compareceu ao primeiro tempo de Fortaleza 1, Atlético de Alagoinhas 1.

Cesinha abriu a contagem para os baianos, mal a partida começou. E esse gol desequilibrou emocionalmente o tricolor.

Imperfeições de toda ordem no time do Vojvoda, principalmente no desarme e nas finalizações.

Robson parecia participar de uma gincana de gols perdidos.

Depois que Pikachu impediu o segundo gol do Atlético, Kaiser empatou o jogo e apaziguou a mente do time.

No segundo tempo, o Fortaleza encomendou um enterro de primeira para o Atlético, ao marcar dois gols em 13 minutos.

Nada de sustos incovenientes dentro da noite, como ocorreu na fase inicial.

Enfilerou, diante de um adversário dilacerado, uma série incontável de chances perdidas.

Fez mais dois e poderia ter sapecado um placar final para lá de extravagante.

Entre boas atuações individuais, Tinga despontou como o maior nome do jogo.

No desarme e nas assistências, ao gosto do distinto publico.