Twitter passa a ser boa opção de investimento após compra por Elon Musk? Entenda

Segundo especialistas, as ações da companhia devem passar por momentos de estabilização até a retirada da bolsa, prevista para acontecer ainda em 2022

Elon Musk sorrindo
Legenda: Elon Musk pagou cerca de US$ 44 bilhões para comprar o Twitter
Foto: Britta Pedersen / POOL / AFP

Com a venda do Twitter praticamente confirmada para o empresário Elon Musk, que pagou cerca de US$ 44 bilhões pelo controle acionário da companhia, alguns investidores começaram a fazer as contas para possíveis investimentos na empresa.

Contudo, especialistas apontam que as previsões, tanto no curto quanto no longo prazo, não são tão boas para quem deseja comprar ações da "big tech". 

Segundo Gustavo Eufrásio Farias, sócio da VLGI investimentos, a tendência é que, inicialmente, as ações do Twitter passem por uma instabilidade caso a cotação do dólar oscile muito.

Para investir em ações do mercado dos Estados Unidos, brasileiros precisam comprar os BDRs (Brazilian Depositary Receipt), que varia tanto pelo preço do papel quanto pelas alterações no câmbio. 

O sócio da VLGI ainda comentou que, atualmente, a empresa possui uma boa perspectiva da valorização antes do fechamento do capital. Segundo relatórios da SEC (Securities and Exchange Commission) — órgão que corresponde à atuação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no Brasil —, Musk pretende tirar o Twitter da Bolsa ainda esse ano para realizar mudanças que considera importantes. 

"Musk vai fechar o capital da empresa, logo o Twitter, ainda em 2022, vai ser retirada da bolsa a US$ 54,20 por ação o que é aproximadamente 8,4% mais alto que o preço de hoje. Nesse caso então não tem como ser uma boa opção de longo-prazo, já que vai sair da bolsa ainda esse ano. Já muito tem se discutido sobre o futuro da empresa visto que a ideia de Musk é permitir um espaço de livre expressão, em outras palavras, um ambiente muito propicio para fake news e extremistas, o que poderia levar o Twitter a ser proibido em alguns países", disse Gustavo. 

"Já no curto-prazo é arriscado dizer, pois, como a ação é em dólar, esse potencial de ganho de 8,4% pode ser ameaçado pode ser alterado pela oscilação cambial", completou.

Momento de incertezas

A perspectiva é corroborada por Raul Santos, sócio-fundador da Aveiro Consultoria e vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef Ceará), que prevê um cenário de muitas oscilações no curto prazo para as ações do Twitter. 

Santos enalteceu o perfil profissional de Musk, mas ponderou os resultados de outras empresas administradas por ele, como a montadora de veículos Tesla e a empresa de exploração espacial SpaceX. Ele também mencionou que será preciso aguardar um pouco pela definição dos próximos planos para o Twitter para se ter uma noção melhor de previsão de resultados. 

"No primeiro momento, as ações tiveram uma subida pela entrada, mas temos de aguardar pelas novas diretrizes para saber o que vai mudar. Como tudo que o Elon Musk tem investido tem dado certo, temos a perspectiva de mercado é que exista uma valorização dessas ações. Mas a Tesla e a Space X também passaram por oscilações, e no curto prazo deverá haver muitas oscilações no twitter", disse Santos.

Identificando opções 

O sócio-fundador da Aveiro Consultoria ainda comentou que, para definir opções de investimento, é preciso observar alguns fatores importantes para as empresas listas em bolsa.  

"A gente tem de olhar mercado futuro, perspectivas de investimentos e abertura de novos relacionamentos e a saúde financeira. Se juntarmos tudo isso, temos uma boa opção de investimento", explicou.